Ancoradouro

Dicas Para Relacionamentos Estáveis

603 1

A Palavra de Deus é uma fonte inesgotável de sabedoria e de ensinamentos que podem transformar nossas vidas e nos mostrar rumos nunca antes vistos. Um simples versículo contém orientações capazes de nos fazer pessoas melhores, desejosos por uma vida nova e plena de felicidade.

O blog, baseado no curso A cura dos relacionamentos e o poder da Palavra de Deus, ministrado por Meyr Andrade, da Comunidade Shalom, no Renascer, escolheu cinco dicas que podem melhorar nossos relacionamentos. Fique atento e confira às dicas.

1.

A paciência

Um ditado antigo reza que a paciência é a pérola mais cara na coroa do rei. Esse dom é imprescindível na construção e sobretudo na manutenção de um relacionamento estável, seja ele qual for. Esta graça nos permite aceitar o outro como ele é e muitas vezes nos permite testemunharmos verdadeiras transformações. Costumo dizer que a paciência não é como nossos neurônios, existentes em quantidade determinada. Ela é como um músculo capaz de ser desenvolvido e fortalecido.  Ser paciente é uma virtude e não pode ser desconsiderada ou renegada.

2.

Bondade

A bondade da qual fala a bíblia não é uma mera reciprocidade apoiada na sentença toma lá da cá. Trata-se de um valor. Eu decido ser generoso com o outro sem esperar recompensa alguma. É verdade que não é fácil em nossos dias agirmos com gnerosidade gratuita pois somos impelidos pelos diversos meios a darmos esperando uma recompensa. Caso não recebamos recompensa eliminamos o outro, deixamo-lo para trás ou listamos, para humilhá-lo, nossos feitos por ele.

3.

Não ser invejoso

Quando a inveja entra em um relacionamento ele está com os dias contados caso não mudemos com urgência essa postura. Acolher o outro com seus dons, em sua inteireza também é uma virtude. O egoísmo ou a insegurança que nos faz ter o outro como uma constante ameça arrefece as melhores amizades. O amor da trindade, modelo por excelência de relacionamento é livre e gratuito, livre da inveja. O Pai se entrega ao Filho e Este àquele, e ambos na dinâmica do Espírito geram vida em plenitude.

4.

Não ser orgulhoso

O orgulho é a raiz de todos os pecados. Com ele vem a soberba e a elevada de estimade si mesmo. Relacionar-se com o outro tendo-o como uma pessoa inferior é como pretender edificar uma casa sobre a areia, ela não se sustentará, em pouco tempo ruirá e provocará um prejuizo incalculável. Serve aqui a máxima paulina de tratarmos os outros como pessoas melhores que nós. Fique claro que o ensinamento do Apóstolo não nos remete a um complexo de inferioridade, ele se baseia na caridade de Cristo que tem o outro como objeto primaz do amor.

5.

Tudo crê

Quem diz que ama e não confia no outro ainda não fez a experiência da verdadeira caridade. Uma traição, um deslize só pode experimentar a cura eficaz se a confiança no outro se mostrar verdadeira, do contrário, na primeira briga alguém se arvora de juiz e o outro não passará de um réu condenado à execração.

Recomendado para você