Ancoradouro

Ideias Para Laicistas e Ateus Acabarem com a Influência Religiosa no Mundo

Os defensores do estado laico desencadearam uma guerra contra a religião.  O imperativo é retirar os símbolos religiosos dos espaços públicos. No Brasil muitas iniciativas são defendidas com o mesmo interesse, inclusive o PNDH contém algumas delas.

A cada notícia que leio sobre o assunto  fico a me perguntar qual seria o incômodo causado por um crucifixo.Temos dependurado um homem pregador do amor, da solidariedade, da paz, da concórdia, de valores e princípios capazes de equilibrar e apaziguar a convivência entre as pessoas.

A conceituação de estado laico em voga é completamente errônea. O estado é e deve ser laico, mas a nação tem uma identidade religiosa, no caso do Brasil, Católica. Trata-se de um dado histórico e cultural indubitáveis.

Contudo, as investidas são constantes e cada vez mais peremptórias. Então apresento sugestões aos laicistas extremistas, ateus e grupos anti-católicos e anti-religião para afastar a influência da religião no mundo:

Comecemos pela retirada dos símbolos religiosos das repartições públicas, mas não só. Inclua-se os monumentos a começar pelo Cristo Redentor, pois deve ser um malefício ter a imagem do fundador de uma religião de quase 2 bilhões de seguidores em destaque numa capital como o Rio de Janeiro.

Em Fortaleza a turma teria muito trabalho. Tem a imagem de Nossa Senhora de Fátima no bairro homônimo, a de Nossa Senhora da Assunção na praça de mesmo nome, isso para citar as maiores das quais me lembro no instante. E claro, os templos religiosos são uma ofensa no estado laico, seria muito justo que os eliminasse. Catedral, igrejas e capelas estariam assim com os dias contados. Inclua-se também os centros pastorais, casas paroquiais, seminários e institutos que servem à vida consagrada.

O serviço tem que ser completo, precisamos, atendendo ao apelo do pensamento laico, destituir Deus de nosso país. Outra medida interessante seria mudar os nomes dos estados, municípios e cidade que possuam nomenclatura religiosa. Citemos alguns: São Paulo, Salvador, Espírito Santo,São Luis, Natal e, claro, Fortaleza. Bem, quanto aos municípios do Ceará, tem a lista aqui e você mesmo pode ver os que devem ter seu nome trocado.

Levando a cabo a lógica laicista apresentada é inconebível ter nas cidades centros de educação operados por pessoas ligadas à religião. Então, universidades e escolas católicas deverão ser desativadas no estado, como as fauldades Católica de Quixadá e a Católica de Fortaleza. Pessoas laicas devem ser formadas com orientação laica, é o que imagino  a partir da concepção laicista disseminada.

O empreendimento não pára. Os católicos mantém – como pode? – hospitais, centros de recuperação para adictos do álcool  e drogas, albergues, orfanatos, entidades caritativas as mais variadas. Felizmente – dirão laicistas e ateus – tudo isso encontrará seu fim. Afinal o estado laico garante vida digna aos seus. A Igreja não precisa se preocupar em cuidar dos pobres, doentes, famintos e  desabrigados.

Os prédios, bem provável ficarão à disposição dos grupos ateístas. O que farão neles é uma icógnita…por falar nisso nunca ouvi falar de movimento ateu pela solidariedade ou empreendendo obras caritativas. Quanta insensatez desse articulista. Como ter no esteio de  obra atéia a caridade e a solidariedade, léxicos enraizados no ensinamento e na vida  cristã? Desculpem-me o devaneio.

Calma! Ainda não é o fim. Falta banir o cristianismo da história de nosso país . Ensine-se outra versão da  História de nosso país às crianças e aos nossos jovens. E por falar na educação da faixa etária aludida, algumas medidas urgentes: Nada de ensiná-los a abstinência, isso é coisa de católico. O sexo deve ser liberado em todas as suas formas e modalidades. Paternidade e maternidade responsável é  coisa do passado, afinal como ensina o governo em sua campanha contras as DSTs, amor, paixão e sexo são a mesma coisa.

Entregue-se as crianças à criação dos gays, nada de incentivo à instituição familiar,organismo que a igreja fortaleceu  e só por isso deveria sumir dos padrões societais pós-modernos. Enfim, chegou a nova era, poderia vibrar um ateu ou laico extremista.

Tendo abolido a influência religiosa católica a empreitada deverá continuar tendo como alvo as outras expressões cristãs e religiosas, afinal o estado laico não pode se contaminar com religião alguma.

Contudo, sinto informar aos laicistas e ateus de plantão.  Ao longo da história muitos governantes e pensadores compartilharam o ideal de uma mundo a-religioso. Todos foram frustrados em suas empresas. Desta vez não será diferente, garanto.

Recomendado para você