Ancoradouro

Moysés Azevedo,Fundador da Comunidade Shalom Ministra Conferência no Vaticano

 Na manhã de quinta-feira,25, o X Fórum Internacional de Jovens, promovido pelo Pontifício Conselho para os Leigos teve seu início com a celebração eucarística na solenidade da Anunciação. Logo, em seguida, os participantes tiveram uma palestra sobre o tema “A vida como vocação” com o consultor do Pontifício Conselho para os Leigos e fundador da Comunidade Shalom, o brasileiro, de Fortaleza, Moysés Azevedo.

A partir de seu testemunho pessoal, o fundador da Comunidade Shalom, contou como Deus o alcançou desde sua infância, passando pela adolescência e juventude, onde fez seu encontro pessoal com Jesus Cristo em um retiro de jovens. Recordando esta experiência, Moysés afirmou: “foi a primeira vez que compreendi que a felicidade não era somente uma palavra, uma idéia, mas uma pessoa: Jesus Cristo, o Ressuscitado que passou pela Cruz (…) Ele veio me encontrar e através das dores e alegrias de minha vida me alcançou pessoalmente e me chamou para segui-lo. E foi seguindo-o que pude encontrar a paz”.

O palestrante destacou que “diante do sagrado dom da vida, podemos compreender que a nossa vida não é fruto do acaso. Esta descoberta é fundamental e somente através dela podemos encontrar o verdadeiro sentido e a finalidade de nossa existência.”

O fundador do Shalom colocou especial acento sobre a importância de levar a sério o discernimento da própria vocação, pois os jovens de hoje só poderão ver e tocar Jesus através de seu corpo vivo, que é a Igreja, ou seja, os jovens precisam encontrar em outros jovens verdadeiros discípulos de Jesus.

Moysés prosseguiu sua conferência, dando o próprio testemunho de como através da Igreja em sua juventude pode dizer sim a Deus e oferecer sua vida pela evangelizaçao de outros jovens, para estes conheçam a felicidade que de graça ele já havia recebido. Nesse sentido, fez uma comovida recordação de seu encontro em 9 de julho de 1980 com João Paulo II no Estádio do Castelao, em Fortaleza, por ocasião do ofertório de uma missa do Congresso Eucaristico Nacional daquele ano.

“Toda vocação cristã é uma vocação ao amor” – afirmou o palestrante, por isso, explicou como em todos os estados de vida (matrimônio, celibato consagrado ou sacerdócio) os vocacionados são chamados a uma particular vivência do amor.

“A verdadeira vida e felicidade se encontram somente quando, por amor a Deus e aos outros, nos esquecemos de nós mesmo e ofertamos a nossa vida” – continuou Moysés Azevedo.

“A santidade é o endereço seguro – ressaltou – da verdadeira vida e da verdadeira felicidade. Vida e felicidade que não consistem em um caminho sem dor, mas que por amor de Cristo e dos outros, sabe abraçar a dor com amor, tornando a dor fecunda e fonte de vida” – afirmou.

O conferencista desta manhã de quinta-feira abordou ainda alguns critérios para um bom discernimento vocacional: uma sincera amizade com Deus, a retidão de coração e um olhar externo, um acompanhamento maduro e que respeite a liberdade interior do vocacionado.

Moysés recordou como toda a vida cristã é uma relação esponsal com Cristo, o esposo da Igreja, desde o nosso batismo. Em seguida, analisou os três grandes chamados, matrimônio, celibato consagrado e sacerdócio como via de santidade e amor esponsal a Cristo.

Por fim, o fundador da Comunidade Shalom convidou todos os jovens a abandonarem o medo de tomar decisões definitivas e de fazer renúncias para abraçar o melhor que Cristo tem reservado para cada um, encorajando os presentes com um sonoro: “vale a pena!”. (RD)

Plugado de Rádio Vaticana

Colaboraram:

Rafael D’Aqui

Rocélia Santos

Recomendado para você