Ancoradouro

Trabalho Infantil em Novela das Oito

54.90.204.233 /ancoradouro/2010/04/11/trabalho-infantil-em-novela-das-oito/
1198 Seja o primeiro a comentar

O que há em comum entre as 3 pessoas na imagem abaixo?

Resposta: Trata-se de três crianças, do sexo feminino, com idade abaixo de 10 anos. E todas trabalhadoras.

A pergunta agora é outra: O que existe de diferente entre o trabalho das 3 crianças?

Bem, o trabalho das duas primeiras crianças (da esquerda para a direita) é recharçado pela sociedade enquanto a atividade desenvolvida pela pequena, primeira do lado direito, é aplaudido pela mesma sociedade que julga imprório o serviço das duas primeiras.

Assim escreveu Márcia Regina Viotto, socióloga, assessora da CTB, membro do Fórum Paulista de Prevenção e Erradicação do trabalho infantil-segmento dos trabalhadores e membro do Instituto Brasil Melhor, “A Constituição Federal é clara: é proibido o trabalho aos menores de 16 anos, exceto como aprendizes a partir dos 14 anos. Ao contrário do que acontece com os trabalhadores e trabalhadoras infantis nas lavouras, nas ruas, nos fundos de quintal, o trabalho de crianças na TV ganha os aplausos da sociedade, que acha lindo aquele ser pequenino interpretar papéis que as tornam estrelas e rendem muito dinheiro  a sua familia”.

Criança de apenas 8 anos interpreta vilã

No caso da atriz mirim, de apenas 8 anos, existe um agravante, ela interpreta  papel de vilã no folhetim. “No caso da atual novela da Globo, a pequena atriz representa  uma personagem feminina, tomada pelo mal, ameaçadora, chantagista, potencial psicopata, o que nos faz refletir como os meios de comunicação continuam a reafirmar  e reproduzir a visão preconceituosa e discriminadora sobre o sexo feminino até mesmo através de uma criança, em horário nobre, onde milhares de crianças e adultos assistem a tal situação com naturalidade”, descreve a socióloga.

O ministério público notificou o autor da novela sobre a possibilidade de vetar a participação da criança na novela de maior audiência da emissora carioca. O Ministério Público não proibiu a participação da criança e o resultado é o que vemos,uma menina atuando no papel de vilã, como classifica  manchete da Revista Quem, semanário da editora Globo, ” Klara Castanho, a vilã mirim de “Viver a Vida”, é elogiada por Manoel Carlos”, diz a chamada.

Nesse ano aconteceu outro caso lamentável relacionado a exposição de crianças indevidamente. Uma menina desfilou como madrinha de uma escola de samba no carnaval carioca. O posto é ocupado por atrizes e modelos e possui uma forte conotação sexual. Na época a assessoria de imprensa da escola de samba declarou ao ANCORADOURO que a maldade estava na cabeça dos adultos. Com estas desculpas rasas negligenciamos a educação de nossas crianças e ficamos a pensar o que será de nosso país, se  desde cedo, não preservam seus melhores frutos.

Recomendado para você