Ancoradouro

Pormenores da entrevista de Chalita à Record News

647

“A minha defesa é que este tema (o aborto) seja tratado de uma forma clara”, disse o entrevistado do programa Entrevista Record, Gabriel Chalita ao cumprir sua agenda de cabo eleitoral de Dilma entre os religiosos. Na verdade, os cristãos  foram os primeiros a reivindicarem clareza na discussão do assunto. É  a postura de Dilma que mostra-se dúbia. Encontra-se registrada sua opinião favorável  à descriminalização do aborto. Começou a mudar de opinião quando mais uma vez o povo cristão reafirmou sua posição contra a matança de inocentes. Então, se falta clareza é da parte da candidata petista. Assista ao vídeo no qual ela diz em alto e bom som numa sabatina à Folha de São Paulo  que acha um absurdo o fato de não ter a descriminalização do aborto ainda no Brasil. Isto não é boato, é fato.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=TdjN9Lk67Io[/youtube]“

No passo seguinte  Chalita solta mais uma pérola  na entrevista a Paulo Henrique Amorim : “O presidente Lula está a oito anos no poder, se ele quisesse colocar o aborto ele já teria lutado para que isso acontecesse”. Um raciocínio nada elaborado para um Q.I como o de Chalita. O presidente Lula muito tentou para que o aborto entrasse na agenda do governo. Será que o ex-secretário de educação de São Paulo esqueceu que se deve a este governo a criação da Secretaria de políticas para as mulheres cuja uma das bandeiras é a defesa do aborto. Boato? Não, Chalita,isto é  fato. Para comprovar listarei algumas notícias postadas na página da citada secretaria.

Nesta, a notícia sobre aborto em casos de anencefalia começa assim: “É preciso tratar a discussão da interrupção de uma gestação por anencefalia abstraindo-se princípios religiosos”. Outra da conta da Frente nacional da legalização do aborto criada a poucos dias antes do primeiro turno, dia 26 de setembro. As demais, e são muitas você mesmo pode  lê-las e tirar suas conclusões. Clique aqui. Além da Secretaria não nos esqueçamos que o presidente quis empurrar no dia 21 de dezembro de 2009 o PNDH-3 que entre outros absurdos defende a descriminalização do aborto. E neste ano tivemos o  Consenso de Brasília que também defende a mesma bandeira.

Voltemos à entrevista. Como já disse em outras postagens Gabriel Chalita tem se mostrado como um aplicado aluno da cartilha petista. Um recurso usual para gerir crises do PT é minimizar fatos. Na entrevista, o homem de fala mansa diz não haver  problema no fato do partido ter fechado questão sobre o aborto em sua convenção nacional. E os deputados, Luís Bassuma e Henrique Afonso, que foram expulsos do PT ano passado por serem contra o aborto? Um destes deputados expulsosconcedeu entrevista à Folha de São Paulo. Clique aqui.

A entrevista prossegue com a parte mais espinhosa para Gabriel Chalita que passa a explicar o entendimento do aborto por Dilma como sendo um caso de saúde pública. Dados oficiais do Ministério da Saúde Nacional apontam que morrem mais   mulheres de desnutrição no país do que de aborto. Então, por que os movimentos feministas e petistas em geral não empunham a bandeira de combate à desnutrição feminina? O vídeo Mãe do Brasil explica com detalhes os dados do Ministério da Saúde, assista.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=4cJZZzWysN4[/youtube]

Em seguida Chalita continua cumprindo sua agenda de papagaio de pirata e afirma o que mandou dizer a petista e os marqueteiros: “A Dilma garantiu que não vai implantar o aborto no Brasil”. Mas como não vai? Vai trair a ideologia  das mulheres do PT? Como ela vai conseguir este feito? Poderia-se dizer, mas ela prometeu. Sim, mas puxando um pouco da memória nos lembraremos de sua firmeza invejável dizendo que não haveria mais apagão no Brasil. E o que aconteceu dois dias depois? Bem, nós sabemos.

O candidato eleito deputado federal, o segundo mais votado em São Paulo está numa situação embaraçosa. De um lado eleito por seu público que o prestigiava na TV Canção Nova, o mesmo público que é contra o aborto, bandeira levantada pela candidata que defende como um guerreiro. Infelizmente ainda não tenho a segunda parte da entrevista, na qual o bom moço se referindo ao papa Bento XVI em meio a galhofadas com o entrevistador diz que ele é um papa que não proíbe nada.

Eu esperava mais de Gabriel Chalita, digo, esperava mais  nesta entrevista mesmo, mais do que repetir frases de efeito, mais do que propalar raciocínios falaciosos nos gabinetes da campanha desmontados facilmente. Vocês viram e podem fazer o mesmo exercício. Deixo abaixo o vídeo e aqui o twitter de Gabriel Chalita que pelo visto caiu no canto da sereia.

Recomendado para você