Ancoradouro

As mais fantásticas invenções da Igreja Católica

933 7

A Igreja Católica trouxe uma grande contribuição à sociedade

Pe. Reginaldo Manzotti, Pe. Fábio de Melo, Pe. Marcelo Rossi são alguns dos sacerdotes muito conhecidos do público nos últimos anos. Suas atividades evangelizadoras alcançaram a grande mídia e com ela tomou proporção gigantesca o anúncio do Evangelho através dos meios de comunicação modernos.

Religiosos da Igreja Católica tem um rico histórico de contribuição ao longo da história da humanidade, no campo das artes, mas não só, nos mais diversos setores da sociedade eles influenciaram. O ANCORADOURO lista uma série de invenções dadas por pessoas ligadas diretamente à Igreja. Veja e se admire. Segue o nome do autor e a invenção.

Padres Oton e Ardoíno inventaram o alfabeto.

Padre Rogério Bacon inventou o telescópio.

Padre Zeucchi aperfeiçoou-o, em 1652.

Padre Humberto, o grande, inventou a bússola. Padre Flávio, de Nápoles, aperfeiçoou-a. Padre Tiago, de Vitry, aplicou-a à navegação.

Padre Cassiodoro, em 505, inventou o relógio. O papa Silvestre II fez o primeiro relógio de rodas. O padre Pacífico, de Verona, inventou o relógio de bolso. O padre Welogord, em 1316, fez o primeiro relógio astrológico.

Padre Alexandre Spina, dominicano, no 13º século, inventou o óculos.

Padre Magnon inventou o microscópio.

Padre Embriaco descobriu o hidrocronômetro e o sismógrafo.

Padre Bertoldo Schwartz inventou a pólvora.

Dom Galeno, bispo de Munster, descobriu as bombas.

São Boaventura, a teoria da termodinâmica.

Os padres Lona e Becaria descobriram as leis da eletricidade.

Padre Secchi, jesuíta, descobriu a análise espectral.

Padre Procópio Divisch, em 1759, descobriu o pára-raios, e não Franklin, que fez apenas aplicá-lo à proteção das casas.

O santo padre Beda descobriu as leis das marés.

Padre Gilbert introduziu os algarismos arábicos.

Padre Guido d’Arezzo inventou o nome das sete notas musicais.

Padre José Joaquim Lucas, brasileiro, inventou o melógrafo, ou modo de escrever as notas e sinais que correspondem à escrita musical.

Padre Alberto, saxonio, imaginou as leis da navegação aérea. Padre Bartolomeu de Gusmão, em 1720, fez a aplicação destas leis aos aerostatos, 60 anos antes de Mongolfier. O padre Amaro, monge, foi o desenhador da célebre carta marítima, em 1456, que inclinou Colombo às suas explorações. O padre Gauthier, em 1753, aproveitando as experiências de Papin, Dickens, Watt, inventou o moderno funcionamento da navegação.

Padre Nollet inventou as máquinas elétricas e descobriu a eletricidade nas nuvens.

Padre Raul, vigário de Sfax, é o verdadeiro inventor do submarino moderno.

Padres jesuítas são os descobridores do gás. O padre Duen fundou, em 1715, a primeira fábrica de gás. 

Padre Painton inventou a bicicleta, em 1745.

Padre Barrant, monge, descobriu o freio das locomotivas.

Padre cavalieri, jesuíta, inventou a policromia.

Os padres Ponce e Epée, beneditinos, estabeleceram o método da educação dos surdos.

 O padre J. B. de La Salle foi o primeiro a fundar escolas livres.

 O padre Fegenece foi o primeiro a praticar a gravura nas vidraças.

 O cardeal Mezzofanti foi o maior conhecedor de línguas do século passado.

O bispo Virgílio, de Salzburg, foi o descobridor da existência dos antípodas.

 O padre Alberto Magno, dominicano, descobriu o zinco e o Arsênico.

O cardeal Régio Fontana inventou o sistema métrico.

 O padre Lucas de Borgo é o inventor da Álgebra.

Diante desta lista imensa torna-se difícil esconder a luz em baixo da mesa. Foi inegável a contribuição da Igreja na construção e modernização da sociedade. Ainda se poderia aferir interferência de eclesiásticos em setores como administração, economia, comunicação, engenharia, medicina, etc

Com informações do blog Angelo Rigon

Recomendado para você