Ancoradouro

Desrespeito à Igreja Católica é recorrente

20 3

A campanha de uma empresa italiana estampou uma fotomontagem do papa Bento XVI beijando na boca um líder religioso egípcio e foi colocada  às portas do Castelo de Santo Ângelo, em Roma, numa visível atitude de provocação ao papa e aos milhões de seguidores da fé católica.

A empresa retirou a peça e disse em nota que lamentava  ter “ofendido os sentimentos dos fiéis”. Ora, a empresa agiu com premeditação. Nenhuma campanha publicitária é lançada sem  prévio estudo e pesquisa, ainda mais a de um grande grupo como a Benetton.

A campanha foi arquitetada para gerar polêmica e agredir gratuitamente o papa Bento XVI que incomoda não poucas pessoas e instituições afeitas ao relativismo moral deste século. O pontífice é alvo recorrente de campanhas desrespeitosas e com ele a Igreja Católica.

Em 1990, a mesma empresa publicou uma fotomontagem com uma freira beijando um padre. Neste ano, na Jornada Mundial da Juventude, em Madrid, um grupo de gay promoveu um beijaço coletivo quando o religioso passeava no papamóvel entre os fieis próximo à praça de Sibeles.

Aos discípulos, certa vez disse Jesus aos orientá-los sobre como proceder no anúncio da Paz: “Mas quando entrarem numa cidade e não forem bem recebidos, saiam por suas ruas e digam:‘Até o pó da sua cidade, que se apegou aos nossos pés, sacudimos contra vocês”.

É tão verdadeira a misericórdia divina quanto a sua justiça. São Paulo ainda alerta, “de Deus não se zomba”. Se colhemos o que plantamos, a Benetton atrai para si com largueza a maldição por disseminar o ódio de forma ignominiosa e recorrente. Ainda veste-se de cordeiro e tem o desatino de dizer que a campanha fora criada para extirpar qualquer tipo de ódio. Pura falácia, mentira lavada.

A empresa apenas quis chamar a atenção para si a partir da agressão gratuita ao líder máximo da Igreja Católica e disparar na internet uma montagem – que sabiam – não poderá mais ser retirada. Que eles colham o fruto de sua ação inconsequente e estruturada para denegrir Bento XVI.

Recomendado para você