Ancoradouro

Crente a qualquer custo

/ancoradouro/2012/04/15/crente-a-qualquer-custo/
392 4

Inicio este pôst esclarecendo que existem denominações evangélicas sérias  que desenvolvem trabalhos de evangelização pautados nos ensinamentos bíblicos.  Mas existem muitas outras que possuem uma postura duvidosa. É sobre estas que trata este artigo.

Há denominações protestantes a que me recuso de chamar de igreja cujo único objetivo é aumentar o número de fieis, retirá-los das fileiras católicas. Acreditem, mas ainda há correntes protestantes que julgam um católico condenado ao inferno de per si, consideram o papa a besta fera e associam o número apocalíptico 666 à Igreja Católica.

Geralmente nestas denominações prevalece o culto à prosperidade, negam o sofrimento como uma condição inerente ao ser humano e tem a ousadia de dizer para Deus em forma de oração “não aceito isso”, “não aceito aquilo”, “determino isto e aquilo”. Os ensinamentos de Jesus sobre a pobreza e a cruz não são mencionados. Talvez nem são tratados em suas Escolas Bíblicas.

Como toda denominação protestante rechaçam qualquer intermediário na interpretação das Escrituras Sagradas, afirmando estes que a livre interpretação da bíblia é correta e somente deste modo a Bíblia deve ser lida e entendida. Decorrente desta ‘livre interpretação’ já surgiram verdadeiros monstros teológicos como grupos denominados pornôs-cristãos, denominações ditas inclusivas que aceitam e promovem a condição homossexual das pessoas.

Igreja não salva

O argumento ‘igreja não salva’ não pode faltar em suas estratégias de convencimento das pessoas menos esclarecidas. Contradizem-se pois todos que pregam ‘igreja não salva’ estão arraigados em alguma denominação que convencionaram chamar de igreja.Não vivem o que pregam.

Moral

Em outros tempos, uma pessoa dita “crente” era conhecida de longe pelas vestimentas, falas e posturas baseadas em uma moral que até parecia moralismo. Mas, talvez, a livre interpretação da bíblia aboliu estes preceitos. As roupas encurtaram com a moral. Faz parecer a quem está fora que o importante é apenas ser crente e contribuir com a obra de Deus. Arcabouço moral e ético é diluído e fragmentado. A ferocidade por prosperar não se diferencia em nada de quem é movido pelo capitalismo selvagem. Já a pregação da Palavra não se distingue muito das palestras de autoajuda e o preletor sempre busca o melhor ângulo de ser filmado chorando ou em gestos de efeito que leva a plateia ao delírio, um verdadeiro show da fé.

Propaganda apenas

Geralmente nestas denominações, os fieis se reúnem apenas em encontros cujo centro é pedir-celebrar-decretar a vitória. Pouco se ver trabalhos organizados em torno da educação, saúde e cultura. Não há assistência aos mais pobres, aliás, aparenta que pobreza é vista como maldição, assim como o era no Antigo Testamento.

Milhões são gastos na manutenção de  programas de rádio e TV que funcionam como grandes propagandistas dos cultos. Elegem representantes políticos cujo maior esforço é conseguir liberação de concessão para as emissoras e assim seguir em frente com o ciclo da prosperidade.

Casa de comércio

Não só a instalações destas denominações são parecidas com comércio, também a postura e as brigas por novos membros. Universal do Reino de Deus e Mundial do Poder de Deus, além da rima, tem em comum a aspiração de dominar o mundo, ou nesta ótica, o mercado da fé. Os fundadores das duas instituições travam ferrenha disputa por mais fieis. Trocam acusações e se declaram amigos de Deus e do diabo. Trocam imprecações, fazem papel de vítima para uma plateia que , sedenta, busca a verdade, corre de um redil a outro e não raro nestas andanças são devorados pelo lobo da descrença.

Para atrair mais pessoas dispensam todo e qualquer rigor de conduta, algumas apoiam o aborto, outras liberam o casamento entre pares do mesmo sexo. Seguem a tendência do relativismo.

Enquanto isso, a Igreja Católica segue firme em suas convicções, não vende por trinta moedas sua doutrina. Atrai a cada dia um número maior de pessoas que cansaram de viver sob a ditadura do relativismo, inclusive no meio religioso.

Recomendado para você