Ancoradouro

Um marco na história da Comunicação da Igreja no Brasil

O Seminário Nacional de Comunicação promovido pelas Comissões pastorais para a Juventude e Comunicação da CNBB estão dentro de um programa de formação que ainda contemplam mais dois outros encontros voltados para a bioética e missão, respectivamente. Tudo em preparação para a Jornada Mundial da Juventude que acontecerá em julho de 2013 na cidade do Rio de Janeiro.

Dom Celi em Vídeoconferência

Cerca de duzentos comunicadores  de todo o país estiveram presentes  em Brasília para a conferir a programação que contou com a presença de Padre Spadaro, SJ, entre outros convidados como Dom Celi que por videoconferência falou sobre a importância das novas mídias para estes tempos de preparação para a JMJ RIO2013.

Para o religioso, o jovem brasileiro é chamado a oferecer aos peregrinos que acorrerão à Jornada, o testemunho de um autêntico seguimento de Cristo, pois não anunciamos um produto ou filosofia, mas uma pessoa. “Os jovens do Brasil devem demonstrar  que são ,além de acolhedores, amigos de Cristo”, pontuou.

O Seminário prosseguiu com falas contundentes de  Pe. Spadaro. Levantou questionamentos oportunos para se refletir sobre como nossa presença na rede deve ser eficaz e refletir o testemunho de quem é discípulo de Cristo.

“A internet não é mais uma ferramenta. Ela é um ambiente. Logo, a internet não é um meio de evangelização, mas um ambiente onde devemos viver bem nosso testemunho de vida cristã. A  sabedoria não é saber como utilizar bem a Rede e seus apetrechos, mas viver bem  no tempo da Rede”, disse.

O padre falou que a Rede transforma nosso modo de ser no mundo. Lançou aos participantes do encontro uma questão: ‘Quem somos quando nos  relacionamos presencialmente e quando estamos na Rede¿’.

Pe. Spadaro, autor do blog ANCORADOURO e Dom Eduardo

Hoje boa parte de nossa vida estar presente na Rede, assim também boa parte de nossa vida de fé é vivida neste ambiente digital.

Com o advento da internet o homem parou de inquerir. Hoje, se tem facilmente as respostas. No entendimento do Jesuíta, uma forma de evangelizar eficazmente na rede não é oferecendo respostas mas fazendo as perguntas certas. Ainda segundo Padre Spadaro, precisamos ajudar as pessoas a receber a mensagem do Evangelho de coração aberto.

Um ponto fundamental destacado pelo sacerdote é o mesmo que foi tema da mensagem de Bento XVI por ocasião 46º Dia Mundial das Comunicações Sociais, o silêncio.  Em uma sentença: saber escutar. “A fé nasce da escuta” parafraseou o Apóstolo Paulo. Apresentou como exemplo o encontro de Jesus com os discípulos de Emaús. Ele [Cristo] não se impôs, caminhou com os homens e na transmissão da mensagem, seus corações foram tocados e a fé foi despertada.

“O jovem católico precisa aprender a escutar a Palavra de Deus e tê-la como coluna sonora de sua existência ”, ensinou.

Outro tópico importante tocado pelo  sacerdote é a necessidade de fazer a necessária transição do ambiente de conexão para o de comunhão. “Não basta postar imagens e frases religiosas, precisa-se ser religioso”, disse, e concluiu, “é possível tornar a Rede um local de comunhão”.

É fundamental o testemunho, a vivência encarnada do Evangelho. “A utilização das mídias sociais nos tornam naturalmente testemunhas”, afirmou.

Para uma comunicação eficaz é necessário que ela estabeleça uma relação entre os interlocutores e que seja feita com qualidade.

Jovens Comunicadores

Minha  opinião:

Desde junho de 2006 tenho presença na Rede através de blog e Redes sociais. Eles são uma extraordinária forma de transmitir a fé e valores, seja através de conteúdos explicitamente religiosos ou não.

A democratização da informação através destas ferramentas, razoavelmente, acessíveis à população possibilita alargar as fronteiras de um anúncio feliz de se pertencer a Cristo e à sua Igreja.

Pessoalmente, vejo que existe  um longo caminho a ser trilhado, mas com a graça de Deus, como Igreja, poderemos oferecer uma grande colaboração ao homem de hoje neste ambiente. Pois como se sabe, a Igreja é perita em humanidade e , porque não dizer, em comunicação.

Pe. Spadaro ministrando conferência

A Igreja em si é uma expressão do amor comunicativo de Deus a seu povo. Na história é fácil perceber e identificar a contribuição desta instituição na formação e desenvolvimento da comunicação. Das cartas de Paulo à invenção do Rádio existe a presença da Igreja. Hoje, em tempos de comunicação em Rede não seria diferente.

Acredito que este Seminário Nacional de Formação, focado na comunicação, veio de encontro ao desejo dos jovens comunicadores que já estavam povoando este “Continente Digital”, mas um tanto quando desamparados, agindo como que às apalpadelas, como descreveria o Apóstolo.

As palavras de Padre Spadaro foram como luzeiros que se acenderam e ajudarão no percurso que se abre nesta  mudança de época. Ficou claro o óbvio, a mensagem do Evangelho não muda, apenas sua forma de transmissão.

Como disse Dom Celi, e isto não pode ser esquecido de modo algum, não anunciamos um produto ou uma filosofia, anunciamos uma pessoa. Trata-se de uma Palavra encarnada que testemunhamos, daí decorre a força desta mensagem que não é letra morta, mas fonte de vida e recriação, afinal, foi pelo Verbo que tudo foi feito e pelo Verbo encarnado que tudo foi salvo.

Voltei deste seminário enriquecido com os ensinamentos e, sobretudo com a convivência fraterna. Muitos dos participantes do encontro conhecia virtualmente, provando que as relações enquadradas a priori como superficiais podem se tornar profundas. O mero ambiente de conexão dar espaço a um lugar de comunhão.

Claro, é preciso continuar com perseverança, tendo a busca da Verdade como norte e o seguimento de Cristo como pressuposto imprescindível. Deste modo, estaremos construindo uma Igreja viva e comunicativa no mundo digital.

Leia também:

Recomendado para você