Ancoradouro

Conheça 3 formas criativas de evangelização

/ancoradouro/2012/12/30/conheca-formas-criativas-de-evangelizacao/
92 Seja o primeiro a comentar

À Boleia 

Vestidos como são Francisco, sempre às margens das estradas pedindo carona em  diversas cidades do mundo os Frades Pobres empreendem um modo criativo de evangelização. Denominado de À boleia, estes homens e mulheres abandonaram suas vidas à Divina Providência e vivem para evangelizar.

Certa vez, a caminho de Roma dois frades foram à boleia por um senhor cuja indumentária lembrava a dos mafiosos italianos. “uma ovelha desgarrada” que ao final do encontro com os evangelizadores retornou a fé católica. Confira o testemunho na íntegra, aqui.

Assista vídeo sobre como os Frades Pobres evangelizam.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=p6kkXGbYbFA[/youtube]

Evangelização dos Ciganos 

No Brasil o organismo responsável é a Pastoral dos Nômades que inclui além dos ciganos, circenses e parquistas. Entre os objetivos do organismo está o de  “promover uma efetiva formação de capelães, religiosas, leigos, ciganos, circenses e parquistas para incorporá-los ativamente nesta pastoral”. O presidente da Pastoral é o bispo da Diocese de Eunápolis (BA), Dom José Edson, fundador do Instituto Servas do Senhor e Servos do Senhor com o carisma específico de revelar a bondade de Deus em tudo que faz, de modo especial entre os ciganos. Para o povo cigano, etnia que possui de 800 mil pessoas a 1 milhão no Brasil , a Igreja possui também uma solicitude especial. O Pontifício Conselho da Pastoral para os Imigrantes e para os itinerantes publicou Orientações para uma  pastoral dos ciganos.

Evangelização no  mundo marítimo.

Congresso reúne 400 marítimos

Outro forma de evangelização criativa que ganhou impulso neste ano foi o Apostolado do Mar. Em novembro de 2012 foi realizado o  congresso internacional “Nova evangelização no mundo marítimo” que contou com a presença de 400 delegados oriundos de 70 países.

O Apostolado do Mar existe há 90 anos e  “oferece meios práticos para prestar  ajuda aos marítimos, através de casas de acolhida – conhedidas mundialmente como Centro Stella Maris“, descreve o site dos Scalabriano, congregação que tem por Carisma trabalhar com itinerantes e responsável pelas Casas Stella Maris do Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul.

Na cada do Rio de Janeiro, “diariamente, a equipe de trabalho visita cerca de 15 embarcações, atendendo em média 300 marítimos. Destes, de 80 a 100 visitam o Centro neste oceano do porto de Santos, que recebe diariamente 35 a 50 navios com mais de mil trabalhadores”, apresenta a reportagem sobre o assunto da revista Família Cristã.

Recomendado para você