Ancoradouro

Cearense encontra-se em missão de Paz no Haiti

34.203.28.212 /ancoradouro/2013/01/03/cearense-encontra-se-em-missao-de-paz-no-haiti/
1 Seja o primeiro a comentar

Marcos Gonçalves é membro da Comunidade de Aliança e há dois meses está em  missão no país arrasado pela pobreza.

Marcos Gonçalves, consagrado na Comunidade Católica Shalom

Há oito anos o Exército brasileiro mantém uma força de Paz na República do Haiti, país das Caraíbas que ocupa o terço ocidental da ilha Hispaniola. O pequeno território foi afetado por um terremoto em janeiro de 2010 que matou 200 mil pessoas e destruiu a capital Porto Príncipe.

Entre o militares que compõem o 17º contingente de missão de Paz no Haiti encontra-se Marcos Gonçalves, consagrado da  Comunidade Católica Shalom, da missão de Fortaleza. O militar foi enviado em novembro de 2012 com previsão de retorno em junho de 2013. “Um ano de preparação antecedeu minha ida a este país marcado pela extrema pobreza e desigualdades sociais”, disse em entrevista Marcos que conta com 21 anos de exército e 17 como membro da instituição católica.

O Exército Brasileiro é uma das três Forças Armadas do Brasil, responsável, no plano externo, pela defesa do país em operações eminentemente terrestres, e, no interno, pela garantia da lei, da ordem e dos poderes constitucionais. “Como portador do carisma Shalom aqui dou apoio espiritual aos haitianos, aos companheiros de base do exército. Ajudamos assim a manter a paz no Haiti”, descreve Marcos.

No Batalhão Brasileiro 1 (Brabat1)  o militar é responsável pela capela, material litúrgico e exerce o ministério extraordinário da Sagrada Comunhão.  “Aqui acontece a missa dominical e a reza do terço que fazemos em peregrinação pelo campus do exército. Hoje, dia 2, nos preparamos para a realização de um Seminário de Vida no Espírito Santo com os membros da força de paz”, conta o consagrado.

Militar ( à direita) é ministro extraordinário da Sagrada Comunhão.

“A maioria do país está em plena escuridão. A pobreza é extrema, há uma carência de recursos básicos como alimentação e água”. É nesse cenário descrito por Marcos que ele encontra força para desempenhar sua missão. “Além dos haitianos ajudamos os companheiros de base a superar a saudade do país de origem e da família”.

Ao final da entrevista Marcos relata que às vezes se sente impotente diante dos desafios, mas feliz pela escolha de Deus. “Por isso, se você é chamado a ir em missão, não resista, diga sim a Deus”, convidou.

Assista a vídeo com a partilha de Marcos Gonçalves:

[youtube]http://youtu.be/xNHPFGZD2ms[/youtube]

Recomendado para você