Ancoradouro

Ativista gay cogita pegar "em armas"

223 10
marcio

“Vou ajudar Jean a dessacralizar o casamento, palavra desgraçada”. Marcio Retamero

O autodenominado pastor evangélico  Marcio Retamero disse que seria capaz de “pegar em armas” para combater a ideologia dos “desgraçados” e “fundamentalistas religiosos”, termos que usa para designar os políticos e defensores da fé cristã e da família.

O pronunciamento de Retamero aconteceu no Seminário LGBT comandado pelo deputado Jean Wyllys (Psol-RJ), em 2012, e voltou a repercutir na internet pelo teor considerado “cristofóbico”.

Acompanhando  a fala com trejeitos o pastor diz: “eu não vejo a coisa muito boa (para o movimento LGBT). Eu vejo o assalto do fundamentalismo religioso no estado laico; eu vejo políticos fazendo conchavos com esses desgraçados dos 25% da população”. 

Depois de afirmar que “estaria disposto a pegar em armas” mais uma vez, se dirigiu ao deputado Jean Wyllys como apoiador. “Eu quero dizer ao Jean que estou aqui para te ajudar na dessacralização do casamento. O casamento civil igualitário dará muito trabalho porque a desgraça dessa palavra está eivada de sentimento cristão”, vociferou.

“Sem a desconstrução da cultura judaico-cristã nós não vamos conseguir (aprovar o casamento civil igualitário), finaliza a fala.

Marcio Retamero é o responsável pela denominação evangélica igrejas da comunidade evangélica betel do Rio de Janeiro. O grupo acabou de trazer para o Brasil uma versão herética das Sagradas Escrituras intitulada de Bíblia da Rainha James, uma referência ao Rei  inglês James I, bissexual na versão dos militantes gays.

Assista ao vídeo

[youtube]http://youtu.be/FxekMI2GjYY[/youtube]

Homossexuais agridem jovem universitário em Vitória 

O Jornal O Globo noticiou que um grupo de homossexuais e travestis espancaram  um jovem universitário em Vitória, ES. O rapaz  “levou 10 pontos na face e está com marcas de mordidas nas costas e nos dedos das mãos” segundo informações do veículo.

De acordo com o jovem alguém fez piada com o grupo e ele “pagou o pato”. “Eu fui me divertir e aconteceu isso. Não sou preconceituoso, nunca me incomodei com a opção sexual das pessoas. Pela violência deles, a intenção era me matar”, disse

Recomendado para você