Ancoradouro

Prostitutas firmam convênio com Caixa Econômica Federal e passam a usar máquina de cartão

48 3
Prostituição em alta no Brasil

Prostituição em alta no Brasil

Às vésperas de eventos internacionais no país, a começar pela Copa do Mundo em 2014,  as associações de prostitutas começam a se organizar no  país para facilitar a prática. Em Minas Gerais, a  Aspromig (Associação das Prostitutas de Minas)  firmou  convênio com a Caixa Econômica Federal  possibilitando que, ao vender o corpo, a mulher utilize cartão de crédito para o pagamento. Na prática, a prostituta passou a ser considerada uma empreendedora individual.

O sistema de abertura de conta foi facilitado para as prostitutas que passam a ter  cobertura da Previdência Social e benefícios como auxílio-doença, salário-maternidade, aposentadoria e taxas de financiamento diferenciadas. Segundo o portal de notícias R7, a  assessoria do banco foi procurada para se manifestar sobre a parceira, mas não enviou resposta até o fechamento da publicação.

A expectativa com a facilidade fornecida pela Caixa Econômica Federal, segundo a responsável pela Associação, Cida Vieira, é aumentar o lucro e o número de programas na cidade.

Certamente a experiência se espalhará pelo país, já conhecido internacionalmente pelo grande número de prostitutas.

Opinião

E assim o país vai aumentando sua arrecadação facilitando a venda dos corpos de seus próprios  cidadãos.