Ancoradouro

Mulher dá eucaristia para cachorro e é excomungada

/ancoradouro/2014/08/11/mulher-da-eucaristia-para-cachorro-e-e-excomungada/
336 39

Um ato de sacrilégio aconteceu neste domingo, dia 10,  na Comunidade de São Francisco de Assis e Santo Expedido, em Praia Grande, na baixada santista. Uma mulher, ao receber a eucaristia das mãos do ministro extraordinário da Comunhão coloca-a imediatamente na boca de seu cachorro. 

Depois de excomungada mulher posou para fotos com o cachorro. Imagem: reprodução/Facebook

Depois de excomungada mulher posou para fotos com o cachorro. Imagem: reprodução/Facebook

A notícia correu pelas redes sociais. Padre Joseph Thomas Puzhakkara conversou com o ANCORADOURO por telefone. ” Quando a ministra da eucaristia deu a comunhão, a mulher não a quis receber e imediatamente a deu para a cachorra. Eu chamei a atenção e  comuniquei que ela estava excomungada da Igreja Católica”. 

De acordo com informações da fiel Silmara Vasconcelos que esteve presente na missa,  “Toda a Igreja ficou em absoluto choque, assustada, pasmada, alguns caíram em lágrimas, com tal aberração e falta de respeito”. Segundo Silmara, a mulher fez confusão desde o início da missa até conseguir colocar o cachorro assentado em um banco da Igreja. Após o episódio a mulher continuou na Igreja e ainda fez poses para fotos.

A sanção é prevista no Código de Direito Canônico no inciso 1367. Quem expele por terra as espécies consagradas  ou as leva ou retem com uma finalidade sacrílega, incorre em excomunhão latae sententiae [automática]*  reservada a Sé Apostólica”. Apenas a Santa Sé pode revogar a pena. 

Contudo, a preocupação do padre se deu no momento seguinte. Ao Blog ele confidenciou: ” Após o ocorrido, uma senhora entrou na sacristia e me disse que fazia a mesma coisa, pegava pedaços da eucaristia e a dava ao cachorro”. Como a sentença de excomunhão, nestes casos é automática, o sacerdote também comunicou à mulher “que era um sacrilégio e só o papa poderia perdoá-la”.

O sacerdote passou a fazer catequeses nas missas e meios de comunicação explicando que o absurdo não é possível. ” É o fim do mundo”, classificou o padre. A igreja fica em uma região praiana. “Já tínhamos os cuidados para evitar sacrilégios com eucaristia em missas negras e outros cultos demoníacos. Agora tem mais essa”, lamentou o padre.

 

Recomendado para você