Ancoradouro

Caritas é proibida pelo governo da Venezuela de distribuir alimentos aos pobres

112 1

Pe. Santiago Martin, da Caritas, organismo caritativo da Igreja, denuncia a sanha de ódio do governo da Venezuela à Igreja Católica, que chegou às raias da loucura de proibir  a instituição de socorrer os pobres daquela nação. 

Padre denuncia governo venezuelano.

Padre denuncia governo venezuelano.

“O governo venezuelano prefere que todos morram de fome antes que a Igreja dê um pedaço de Pão”, disse o sacerdote, em entrevista, a MagnificatTV. “Há mulheres grávidas que ficam meses em fila esperando fraldas”; “As brigas por um pedaço de frango são diárias”, “Há povos totalmente sem luz”; “Pessoas morrem nos hospitais por uma simples infecção”.

“É ódio à Igreja”,assevera  Pe. Santiago. Tratase de “um ódio tão forte que leva à loucura, que morram de fome antes que a Igreja os alimente, que morram de doença antes que a Igreja os cure”, disparou o sacerdote indignado com Nicolás Maduro.

Maduro.

Maduro.

O governo brasileiro, aliado apoiador do governo de Maduro, mantém silêncio sobre a situação deplorável do povo Venezuelano. Ao contrário, Maduro, é um ferrenho crítico de nosso país. Em abril deste ano chegou a declarar que o processo de Impedimento da presidente seria um,”golpe de Estado que  ameaçava todos os povos da América”.

A situação é tão catastrófica que o Papa Francisco escreveu recentemente uma carta ao governo daquele país. Não foi revelado o teor da carta, mas o Vaticano afirma que trata-se das difíceis condições da Venezuela. Os bispos havia tempos alertavam ainda para a violência, a corrupção e as consequências do racionamento de energia elétrica e água como os principais problemas para os habitantes da Venezuela.

Recomendado para você