Ancoradouro

"Minha segunda missa na Itália foi na Igreja que hoje está em ruínas", relata cearense em Roma

134 1

“Minha segunda missa na Itália foi na Igreja de Amatrice,cidade que hoje está em ruínas”, lamenta padre Cristiano Pinheiro, sacerdote da Comunidade Shalom que falou com exclusividade com o blog Ancoradouro nesta tarde de quarta-feira, dia 24, sobre o terremoto que destruiu a cidade que fica a uma hora de Roma.

Igreja de Amatrice antes e depois do terremoto.

Igreja de Amatrice antes e depois do terremoto.

Padre Cristiano conta que em alguns locais de Roma se sentiu os tremores de terra na madrugada. “O epicentro do terremoto foi o centro da Itália”. O sacerdote que há sete  anos está em missão na  Cidade Eterna relata que a missão do Shalom passou alguns dias do início de janeiro em Amatrice, para um período de descanso e oração.

“Somos amigo do pároco da Igreja de Amatrice, padre Savino,que no momento está incomunicável”. Padre Cristiano destaca que na tradicional audiência da quartas-feiras na Praça de São Pedro, o Papa Francisco  parou o programa ordinário do encontro para a recitação do santo terço pelas vítimas do terremoto.

Padre Cristiano Pinheiro é cearense e está em missa em Roma há mais de sete anos pela Comunidade Shalom.

Padre Cristiano Pinheiro é cearense e está em missão em Roma há mais de sete anos pela Comunidade Shalom.

“Ainda está um clima de tensão pois existe a possibilidade de acontecerem outros abalos ao redor daquela região. Certamente fica um pouco de insegurança, por isso intensificamos as orações”. O missionário informa  que a Igreja italiana liberou um aporte de um milhão de euros como  primeira ajuda para as pessoas atingidas.

Franco Galdino que também é missionário da comunidade em Roma explica que não podem ir à cidade mais atingida pelo terremoto para efetivar ajuda humanitária. “A cidade tem apenas um acesso e a orientação das autoridades locais é que a via fique livre para o trânsito das ambulâncias”.

Shalom pede orações para a Itália.

Shalom pede orações para a Itália.

“Pessoalmente estamos tocados e doloridos, porque conhecemos a cidade e o pároco que está sofrendo  bastante”. A Comunidade Shalom está unida espiritualmente em oração e pede orações pelas vítimas do terremoto. A instituição que nasceu na Arquidiocese de Fortaleza possui duas casas em Roma com vinte missionários sendo a maioria  cearenses.

Recomendado para você