Ancoradouro

Paróquia de Ocara aplica treinamento em liderança situacional

195 1

A Paróquia da Sagrada Família, de Ocara, na Arquidiocese de Fortaleza, aplica formação específica para lideranças. “O objetivo é capacitar as atuais e captar novas lideranças”, explica o pároco Padre Aurênio Pereira. O segundo treinamento ministrado para os representantes das quarenta e uma comunidades que compõem a paróquia aconteceu neste sábado, dia 21, aplicado por Raniere cristina, missionária, formada em administração de empresas e diretora do Colégio Shalom.

Raniere Cristina, diretora do Colégio Shalom, aplicou o treinamento em liderança situacional, em Ocara.

A facilitadora se deteve, a partir do Evangelho de Lucas, em demonstrar como Jesus formava suas lideranças, os Apóstolos e discípulos, para atender a messe. “A exemplo de Jesus, nós também somos chamados a formar líderes, discipular pessoas e enviá-las para o serviço pastoral”, disse. Com ampla experiência em planejamento estratégico e gestão, Raniere aplicou treinamento em liderança situacional, novidade que ensina como formar uma liderança a partir da realidade que se apresenta.

Padre Aurênio encabeça projeto para formar lideranças na Paróquia Sagrada Família, em Ocara.

“Na formação de um novo líder precisamos identificar quem tem essa aptidão, trazer para perto, ter paciência, formar, ensinar, apoiar, dirigir até chegar o momento em que a pessoa caminha com as próprias pernas”, explicou. “É preciso que enxerguemos esta oportunidade como um meio de melhorar nosso serviço a Deus e aos irmãos. Em nosso tempo à frente das comunidades e pastorais, quantos líderes já formamos?”, questionou Raniere.

Primeiro treinamento

O primeiro treinamento aconteceu em agosto e contou com a facilitação do seminarista Joaquim Fernando. Na ocasião, foram apresentados os tipos de lideranças, a partir do livro, O Líder de Fé, de frei Elias Vela.

Resultados positivos

Comunidade da Lagoinha aprova treinamento e colhe frutos das formações.

A capacitação já começa apresentar frutos concretos. A Comunidade da Lagoinha passa por uma transição de coordenação. “Estava muito difícil conduzir sozinha, fui atrás de outras pessoas e conseguimos mais quatro novos líderes para ajudar na coordenação e o resultado tem sido muito bom”, conta Elizângela Martins, antiga coordenadora da comunidade. “Não precisamos ter medo uns dos outros, queremos somar e fazer a comunidade crescer, não faltará serviço para ninguém”, testemunha.

Recomendado para você