Ancoradouro

Movido por promessa, devoto de São Francisco de Assis vai a pé para Canindé

O que faz uma pessoa caminhar três dias a pé para chegar a Canindé? A Fé. É este o combustível de centenas de romeiros que todos os anos fazem deste caminho uma verdadeira jornada espiritual. Cada qual  tem uma história, os passos encontram sentido na meta. A caminhada destes romeiros já começou bem antes, no coração. A de Wendell Cabral teve início há quatro anos, quando fez uma promessa pela  filha.

Movido pela Fé e uma promessa a pagar, Wendel Cabral vai a pé para Canindé.

Grávida de Maria Cecília, Débora Duarte , a esposa do romeiro,  conta ao blog Ancoradouro que no primeiro  exame foi  detectada uma transluminescencia nucal, alteração significativa no tamanho da nuca do nascituro. Os exames foram repetidos na mesma semana e não houve modificação nos resultados. Com aquele diagnóstico se dava por certo o nascimento da criança com alguma malformação segundo os médicos.

A promessa de Wendell foi por Maria Cecília, hoje com 4 anos de idade.

Foi neste momento de incerteza, tensão e  de exames invasivos na esposa, que Wendell Cabral começou sua jornada espiritual. Decidido, fez uma promessa a São Francisco: se a filha nascesse com saúde iria a pé para Canindé. O amigo do céu o atendeu. Maria Cecília veio ao mundo perfeita. “Nossa filha nasceu esperta, linda, maravilhosa, sem qualquer tipo de malformação”, celebra a mãe.

Wendell faz o percurso junto com a Romaria Dom Joaquim.

Foram dois anos de tentativas para pagar a promessa. Deu certo neste. Wendell se juntou a mais 200 devotos da romaria Dom Joaquim,  que há mais de 60 anos engrossam as fileiras de amigos de São Francisco, nesta jornada a pé para Canindé. São três dias de caminhada, sempre às noites. O romeiro da capital destaca a generosidade dos demais peregrinos e das famílias por onde passam ao longo do percurso. “Em Maranguape, por exemplo, encontramos apoio nas casas do dr. Delano e de dona Socorro. As pessoas se doam e isso é muito bonito”. Wendell está gostando da experiência e já faz planos para voltar no próximo ano.

Débora com os filhos Pedro Henrique e Maria Cecília. No domingo se juntarão a Wendell para celebrar e agradecer aos dons recebidos de Deus.

A romaria é ritmada por paradas, convivência e oração. No domingo, Débora com os filhos Pedro Henrique, 10 anos e Maria Cecília, 4 anos,  se juntam ao esposo para assistirem à missa, agradecerem a Deus pelos dons recebidos e, renovados na fé,  prosseguirem a jornada ainda mais fortes sabendo que podem contar com amigos na terra e no céu, como Francisco de Assis.

Recomendado para você