Artesanato da Mente

Eu quero paz

sol.nascendo

Lendo o livro muito bonito e repleto de ensinamentos chamado “Setas no caminho de volta”, do querido Prof. Hermógenes, fiquei bastante reflexivo em um trecho no qual ele cita o grande místico indiano Sai Baba.

Um rapaz chega angustiado até o Sai Baba e este lhe pergunta: “Que você quer de mim?”. E ele diz: “Eu quero paz”. Com um olhar sereno e voz doce, ele responde: “São três palavras – “eu”; “quero”; e “paz”. Abra mão do “eu”; renuncie ao “quero”, e o que sobra é a paz”. Esclarecendo o que para ele é paz – a ausência de egoísmo e ambição, ou seja, altruísmo e contentamento.

Adaptado do livro “Setas no caminho de volta” do Prof. Hermógenes

Nunca vivemos em um planeta com tantas pessoas carentes de uma paz profunda e verdadeira. Ainda mais nós que vivemos no Brasil, país ocidental completamente inserido no sistema capitalista voltado para o consumo, para a produção e acúmulo de bens, de capital, de status, de fama etc.

Essas palavras, aparentemente tão simples, são riquíssimas de ensinamentos. O Prof. Hermógenes, inspirado no Sai Baba, está querendo nos dizer que a paz profunda só acontece no coração das pessoas que decidiram abrir mão do “eu”, mas não qualquer “eu”, ele está falando daquele voltado ao nosso EGO, que só gera conflitos e sofrimentos. Existe sim um segundo eu dentro de nós, chamado por muitos de “eu verdadeiro” ou “eu maior”. Este está completamente conectado com nossa essência mais profunda, ligado ao amor, a compaixão, a benevolência e ao altruísmo.

Além disso, é preciso renunciar ao “quero”, ou seja, a ambição e a ganância. Mais uma vez quero salientar que acredito no erro quanto à ganância, como diz o Mario Sergio Cortella, ganância é querer só para si e a qualquer custo, bem diferente de ambição, que é querer mais, porém, em benefício de si mesmo e dos outros. Se quiser ler sobre isso, compartilho esse texto logo abaixo.

Ganância e Ambição

Entendo o que o Sai Baba quis dizer com “quero”. Ele quis dizer no sentido do DESEJO. Nossos desejos são realmente ilimitados. A Psicologia e mais especificamente a Psicanálise já nos provou isso por A + B. O ser humano tem um desejo interno profundo, que por um lado é bom, pois lhe permite avançar e buscar coisas melhores. Percebe a ambição aqui? Ela está inserida nesse contexto! Mas por outro lado é ruim, pois lhe leva a um estresse desmedido, pois quanto mais coisas ele consegue, automaticamente mais insatisfeito ele vai se tornando, pois o desejo de ter uma coisa, logo é substituído por outra coisa ainda maior, e isso segue nos ciclo paranoico sem fim. Muito cuidado com isso! Pode afetar qualquer um de nós! Ninguém está imune a isso. Essas são armadilhas do nosso EGO para nos acorrentar e nos trazer mais sofrimentos.

O contrário desta ambição é o CONTENTAMENTO. Quase ninguém entende o que é o contentamento. Muitos confundem com COMODISMO, o que não tem nada a ver. São absolutamente diferentes. Comodismo é não enxergar novas possibilidades, é viver uma rotina maçante, é ter um emprego ruim e achar que não se pode conquistar um emprego melhor etc. Contentamento tem uma profunda relação com a GRATIDÃO, que como sempre digo, é um dos maiores poderes que o ser humano possui. A gratidão é a maior aliada da PROSPERIDADE. Quanto mais você se contenta, ou seja, fica contente (agradecido) pelo que tem, mais riqueza você atrairá, e quando falo riqueza, é em todos os sentidos, e principalmente, acima de qualquer outro, a PAZ. A paz é a maior de todas as nossas riquezas.

Percebe como não é tão simples adquirir essa paz?

Esse texto foi inspirado no Prof. Hermógenes e no Sai Baba. Dois seres humanos extremamente pacificados. Se você em algum momento já leu sobre eles, perceberá que os dois praticavam MEDITAÇÃO e YOGA. Essas duas práticas nos levam à paz em uma velocidade muito maior do que qualquer outra coisa. Parece engraçado eu estar falando em velocidade e meditação, não é? Mas é verdade! Estas práticas nos auxiliam a nos reconectarmos com nossa essência mais profunda e conquistarmos a tão sonhada paz.

Se conectando com nosso “Eu maior”, abrimos mão do “eu” egóico e renunciamos ao “quero” dos desejos. Exatamente o que nos sugere o Sai Baba.

Espero que esta reflexão tenha feito bem a você e que você busque essa conexão com seu eu mais profundo. Desta forma a paz virá até você sem esforço, sem brigas, sem aflições e sem angústias. Experimente e constatará na sua própria vida…

 

Recomendado para você