Artesanato da Mente

A integração da sombra ao “si mesmo”

1116 2

1537559_346502112157561_1296932436_o

Eu tenho estudado bastante os escritos e teorias do grande psicoterapeuta Carl Jung e a cada dia me encanto mais com a sua abordagem, pois é relativamente simples e extremamente profunda.

Farei uma breve reflexão sobre uma de suas teorias mais impactantes que é a SOMBRA e o SELF, chamado em português de “si mesmo”.

Certamente que esse é um assunto extremamente amplo e multifacetado. Sabendo disso, vou limitar a falar sobre esse processo levando apenas para o campo dos relacionamentos amorosos.

A sombra representa o nosso lado interno que procuramos não revelar para os outros, por medo, por receio, por vergonha e por aí vai. Porém, enquanto as sombras estiverem prevalecendo dentro de nós, teremos dificuldade de deixar emergir o nosso lado mais luminoso e divino.

O self, ou “si mesmo” é a nossa essência mais profunda, nosso lado divino que tem uma conexão direta com Deus e com as esferas espirituais. E envolvido com o self existe o processo chamado “Integração do ser”, termo este que acho lindíssimo e chamativo.

O que é essa integração do ser? É você jogar luz sobre as suas trevas, sobre as suas sombras internas, através do AUTOCONHECIMENTO.

É interessante aprender que, enquanto ainda não temos tanta consciência de quem nós somos, os nossos relacionamentos, de um modo geral, são demasiadamente PROJETIVOS. Ou seja, nós projetamos as nossas sombras nas outras pessoas, e nessa hora, o processo de atração acontece brilhantemente, fazendo com que atraiamos para nós as pessoas que farão com que despertemos o nosso lado luz a partir da experiência de convívio.

Ao nos relacionarmos amorosamente com alguém, essa pessoa faz inconscientemente com que nossas falhas, defeitos, preconceitos, crenças limitantes, medos, angústias… venham à tona! E daí que surgem conflitos e mais conflitos entre os casais, porque é difícil encarar-se a si mesmo e integrar a sombra ao self. Esse é um processo extremamente doloroso, porém necessário, para que cresçamos em consciência e amor.

É por essas e outras que costumo dizer não só por aqui, mas entre amigos também, que uma das melhores coisas na vida é poder se relacionar amorosamente com alguém, porque somos confrontados com o nosso lado sombrio o tempo todo, e cabe a nós querer iluminar essa sombra. Está no nosso livre arbítrio ter esse desejo de iluminar as sombras para integrar o ser.

O que acabei de expor é uma das coisas que mais levam a conflitos feios e até mesmo rupturas de relacionamentos. Porque cada pessoa tem um tempo para crescer, para amadurecer, e saber respeitar esse tempo é um imenso, um gigantesco desafio. E é muito comum existirem determinados traços de personalidade que a pessoa literalmente ama, mesmo sabendo que não é a postura mais sábia, entende?

Vou citar apenas alguns exemplos. Existem pessoas que são viciadas em serem vitimistas, se alimentam dessa energia nas outras pessoas. E não adianta querer que elas mudem porque elas se sentem bem com essa postura.

Existem pessoas que são viciadas em viver do passado. Que vivem se lamentando pelo que não deu certo, pelas escolhas erradas que fizeram na vida, reclamando por não terem feito o que gostariam etc etc.

Existem aquelas que querem mandar em todo mundo, que são cheias de regras de conduta e tudo tem que ser sempre do jeito delas. São aquelas que o tempo todo confundem autoridade com autoritarismo. Já conheceu alguém assim? rsrsrsrs

Não adianta ninguém querer forçar a barra de ninguém para que mude, porque como sempre digo: “ninguém muda ninguém”, a pessoa só muda quando toma consciência de que precisa mudar e se esforça nesse sentido, e mesmo assim é um processo longo e árduo.

Concluo essa breve reflexão compartilhando um termo que acabei por associar, porque sei que tem tudo a ver com essa temática. PACTO DE SOMBRAS.

Inconscientemente, quando nos relacionamos com outra pessoa, nós fazemos uma aliança de sombras, ou seja, o nosso lado que precisa ser trabalhado se junto com o da outra pessoa, de forma que os dois possam crescer juntos e se tornem pessoas melhores.

Não é interessante essa concepção? E é com grande alegria que compartilho a música que me levou a esse insight de relacionar essa temática psicológica com o pacto de sombras. É uma música de um conterrâneo meu chamado Caio Castelo, cantor e compositor de Fortaleza. É uma música linda e ótima para ouvir antes de dormir, por conta da sua suavidade! Abaixo deixo o link da música para ser ouvida e também um breve áudio que gravei a partir dessa temática, para que você se aprofunde um pouco mais!

 

 

Recomendado para você