Artesanato da Mente

Aprenda a pedir menos desculpas

66 2

tory-blog-sorry-1024x614_c

Não sei como é em outros países, mas no Brasil há praticamente um vício em se pedir desculpas. Farei uma breve reflexão sobre essa postura que, a meu ver, não é a mais adequada.

Em um primeiro momento, talvez até você pense que se trata de uma postura arrogante não pedir desculpas. Calma! Eu vou explicar!

A palavra desculpa significa retirar a culpa. E quando eu peço desculpas a alguém é porque estou sentindo culpa por alguma coisa que fiz de errado e quero que a outra pessoa retire esse peso das minhas costas ao dizer: “Sim! Eu lhe desculpo!”.

Se você prestar bastante atenção, vai perceber que é como se a outra pessoa fosse um JUÍZ. Uma pessoa que tem o poder de absolvição de um mal. Mas nós não somos juízes de ninguém, nem de nós mesmos somos juízes! Quanto mais das outras pessoas…

Existe um ponto fundamental a ser tratado aqui, o EGO. O ato de pedir desculpas, na grande maioria das vezes, é egóico, porque se a outra pessoa lhe desculpa, vem um sentimento de autossatisfação incrível. A pessoa diz mais ou menos assim:

– Ufa! Ainda bem que fulano me desculpou. Agora posso dormir tranquilo(a)…

Essa é a grande questão! O dormir tranquilo deixa você susceptível a cometer o mesmo erro de novo. Leva você de certa forma a se anestesiar em relação a dor que foi sentida por ter feito algo de prejudicial a alguém, percebe?

Não estou querendo dizer que nunca se deve pedir desculpas, não é isso! Estou querendo dizer que existe algo mais poderoso que isso.

E o que seria afinal de contas?

Trata-se da RESPONSABILIDADE. Como já falei em diversos textos, responsabilidade significa: “a habilidade de gerar respostas”. Ou seja, quanto mais responsabilidade eu tenho, mais gero respostas positivas a tudo que é levantado por mim ou para mim.

A responsabilidade anda de mãos dadas com a ELEVAÇÃO DA CONSCIÊNCIA. As desculpas andam de mãos dadas com o ANESTESIAMENTO DA CONSCIÊNCIA.

Quando eu procuro desenvolver a responsabilidade, eu presto mais atenção nos meus atos, e quando falho com alguém, quando firo emocionalmente essa pessoa, eu reconheço todo o mal que lhe causei e não fico me martirizando por isso, mas internalizo a dor que foi sentida pelo outro, sofro por isso e vou falar com ela humildemente não com pedidos de desculpas, mas pedindo PERDÃO mesmo!

O perdão é infinitamente superior às desculpas.

Você diz a ela mais ou menos assim:

“Eu tenho consciência de todo o mal que lhe causei. Você tem todo direito de não me desculpar ou não me perdoar. Por favor! Me diga alguma coisa que eu possa fazer que possa reparar o que tenha lhe causado?”.

Com essa postura é bem diferente. Aqui existe a EMPATIA, você adentrou o universo da outra pessoa. Sentiu a dor dela e sabe que você pisou na bola feio.

A partir daí, a possibilidade de você cometer o mesmo erro é muito menor.

Se você simplesmente chegasse para a pessoa pedindo desculpas e ela balançasse a cabeça com um SIM, isso dificilmente geraria mudanças concretas de postura.

É com essa argumentação que venho lhe dizer que é preciso aprender a pedir menos desculpas. Em contrapartida a isso é preciso haver uma busca maior pelo autoconhecimento.

O autoconhecimento nos ajuda a sermos mais perceptivos tanto para com nosso comportamento como também para com o comportamento das outras pessoas. Tendo esse olhar mais perspicaz, a possibilidade de fazer alguma besteira é bem menor, porque você passará a ser mais empático, passará a olhar a dor do outro e não vai querer de forma alguma ser um causador de mais dores na sua vida.

Portanto! Aprenda que assumir a responsabilidade pelos próprios atos e posturas na vida é muito mais poderoso do que ficar pedindo desculpas por tudo e voltar a cometer os mesmos erros…

Paz e luz.

Recomendado para você