Artesanato da Mente

O poder da mente nos nossos processos de cura

A nossa mente tem um poder incrível, tanto para auxiliar no nosso bem estar, paz, plenitude, prosperidade, como também para nos afastar da nossa essência, contribuindo com diversos processos de adoecimento. Constantemente escrevo textos falando sobre o quanto a nossa saúde do corpo está diretamente relacionada com o nosso equilíbrio emocional, psíquico e espiritual.

Recentemente assisti a uma palestra bem interessante do grande escritor e orador espírita José Carlos de Lucca que me fez ficar um bom tempo refletindo sobre o poder imenso que a nossa mente tem.

Nessa palestra, ele disse que em determinado momento da sua vida, já trabalhando como palestrante e com alguns livros publicados, ele fez uma viagem de carro com um amigo e no meio do caminho eles se acidentaram. O carro ficou bem amassado, no entanto os dois continuaram bem. Aparentemente parecia que não tinha ocorrido nada com eles. Nem com partes do corpo sangrando eles ficaram. O de Lucca, como tinha um compromisso com uma palestra que estava confirmada, percorreu o restante do caminho que faltava de táxi.

Na palestra ele disse que não ficou abalado emocionalmente com o acidente e deu a palestra normalmente. Foi uma das melhores e mais inspiradas de sua carreira até então. Passado o evento, ele foi conversar com seu amigo pra saber se estava tudo bem. Ele disse que estava sentindo um pouco de dor e decidiu ir ao médico. Chegando lá foi constatado que ele estava com uma costela quebrada. Teve que ficar alguns dias de repouso para se restaurar e disse ao de Lucca.

– Meu amigo! O acidente teve em você o mesmo impacto que teve comigo. Sei que você me disse que está tudo bem, mas mesmo assim eu sugiro que você vá ao médico só pra certificar se está tudo bem mesmo.

Ele não queria ir, mas pela consideração pelo amigo decidiu ir. Chegando lá o médico o examinou e viu que ele estava bem. Mas pensou: “Já que você veio até aqui saber se está tudo bem, vamos ter 100% de certeza fazendo um Raio-X? Não custa nada né? É rapidinho!”.

Quando o radiologista fez o Raio-X foi constatado que ele também tinha fraturado uma costela e estava bem mais sério do que o médico pensava.

Ele começou a dizer ao de Lucca a sua situação, o quanto aquilo poderia ter avançado para algo pior, como uma infecção, uma inflamação das pleuras, uma perfuração do pulmão etc etc.

Até aquele momento ele estava se sentindo ótimo, mas foi só o doutor começar a falar que algo mudou na sua mente. Ele começou a sentir uma dor aguda na altura dos pulmões, ficou com a respiração mais curta e teve que ser levado pra casa pela sua esposa, pois não tinha a menor condição de dirigir.

Pegou duas semanas de atestado e nos primeiros dias sentiu muita dor, mas de repente voltou no tempo em pensamento e se deu conta de que só começou a sentir dor depois que o médico foi super catastrofista em relação à sua costela quebrada.

Daí em pensamento disse: “Ora! Se antes do doutor falar eu estava bem, posso pelo poder do pensamento voltar a ficar tão bem quanto estava antes…”. E rapidinho sua dor aguda cessou e antes do fim da licença de trabalho já estava na ativa de novo.

Achei incrível esse depoimento! Com ele temos a prova concreta de que podemos pelo poder do pensamento nos curarmos ou pelo menos aliviarmos as dores e os sintomas de uma doença, seja ela qual for.

Quero concluir falando que as doenças têm uma relação direta com o MEDO. Estamos no início de 2018, e nesse tempo está havendo uma forte campanha de prevenção à febre amarela. Os postos de saúde, principalmente em São Paulo, estão abarrotados de pessoas para tomar a vacina. Eu, para curtir o finalzinho das minhas férias, resolvi viajar para São Paulo e conheci diversas cidades por lá.

Uma querida amiga que encontrei por lá até me alertou para a importância de tomar a vacina antes de ir, mas eu admito que sou bem preguiçoso quando se trata de ir a um médico ou posto e saúde. Acabei não indo e fui pra viagem só alimentando o pensamento de que voltaria tão bem e saudável quanto na ida. E foi exatamente o que aconteceu. Voltei no dia 31/01, na semana em que escrevo esse texto.

Passeei por vários lugares onde provavelmente tinha focos do mosquito da febre amarela e se duvidar, talvez tenha sido picado por alguns, pois levei umas picadas bem boas! Meu pensamento positivo e minha alegria de estar conhecendo lugares lindos juntamente com meus amigos, certamente potencializou meu sistema imunológico ao ponto de espantar para bem longe de mim qualquer possibilidade de ficar doente.

Quero a partir desses dois casos reais mostrar para você que boa parte da sua saúde física está ligada ao seu equilíbrio mental e emocional. Às vezes eu até brinco que quem é feliz e pleno nem precisa de plano de saúde, daí pode guardar esse dinheiro para investir em outra coisa! Claro que digo isso brincando viu? Se você tem condições de pagar um plano, ele pode e vai lhe ajudar imensamente quando for preciso.

Cultive bons pensamentos e se alimente de tudo aquilo que enche o seu coração de alegria, desta forma você vai afastar de você praticamente todas as possibilidades de adoecer.

Paz e luz…

 

Recomendado para você