Artesanato da Mente

Não há perigo que vá nos parar

Li esses dias algumas sábias palavras do frade e escritor Frei Betto que me fizeram refletir bastante sobre o momento atual que o nosso país está passando. Suas palavras vão totalmente ao encontro do que eu acredito e vivo! Farei uma breve reflexão a partir delas. Confira!

*********

“Depois de uma eleição polarizada, ressalto que a prática que deve prevalecer é a de preservação dos valores da democracia: respeitar a opinião do outro; não transformar a diferença em divergência; “não atirar pérolas aos porcos” (Jesus), ou seja, não perder voz com quem não tem ouvidos.

Todos os nossos mestres espirituais foram lutadores exemplares por um mundo mais justo e igualitário: Buda, que abandonou a nobreza para estar com os pobres; Jesus, que anunciou que os pobres nos precederão no Reino de Deus; Gandhi, que lutou pela independência da Índia em relação ao Império Britânico; Martin Luther King, que combateu o preconceito racial e a discriminação social etc. Meditar, orar, abrir ao transcendente: para que serve? Para nos fortalecer no empenho de construir um mundo melhor. A árvore se conhece pelos frutos.

Devemos evitar atritos com pessoas que apoiam a violação de direitos humanos, praticar a compaixão, lutar por uma sociedade que não gere torturadores e assassinos. Nem apoiadores desses criminosos.

Também devemos respeitar a decisão dos eleitores e não bater boca. O tempo é o senhor da razão. Mostrará a que veio o novo governo.

O contrário do medo não é a coragem, é a fé. Devemos evitar provocações e nos fortalecer espiritualmente. Passividade diante das injustiças é cumplicidade com quem as pratica. Frente à realidade injusta, devemos fazer a nossa parte: praticar a justiça e nos empenharmos em fortalecer movimentos que lutam por uma sociedade mais justa”.

Frei Betto

*********

Comentei com vários amigos e em textos anteriores que o resultado das eleições foi o de menos comparado com os estragos que ela deixou: mortes em diversos lugares, milhões de fake news, amizades desfeitas, famílias destruídas, relacionamentos amorosos rompidos, ratificação de preconceitos etc. etc.

A mensagem do Frei Betto é clara e objetiva, precisamos unir nossas forças em prol da construção de um mundo melhor. Eu sou professor, e vendo mais do que nunca a nossa classe sendo desvalorizada, vilipendiada e até mesmo ameaçada, ao invés de me deixar triste e com medo, muito pelo contrário, isso me enche de força e determinação para fazer mais e melhor o que já venho fazendo.

Ao ler esse texto eu lembrei na mesma hora de uma das minhas músicas favoritas da banda Os Paralamas do Sucesso chamada “Soldado da paz”. Logo na primeira frase ele diz: “Não há perigo que vá nos parar. Se o bom de viver é estar vivo, ter amor, ter abrigo, ter sonhos, ter motivos pra cantar…”.

Essa música será de agora em diante praticamente um hino na minha vida! Serei esse soldado da paz que exercitará a COMPAIXÃO, que é sentir a dor dos outros, compreender no mais íntimo do coração o sofrimento que a nossa sociedade vem passando.

Não existe outro caminho para a mudança coletiva verdadeira que não seja pela educação. Frei Betto é um mega educador e seu amor pela educação é o que faz com que ele seja admirado por tanta gente! Ele é uma das minhas referências porque percebo a sua sensatez e firmeza de caráter. Seu exemplo de vida foi uma das molas propulsoras para eu me interessar mais pela política.

O senso comum diz: “Política não se discute!”. Verdade! Não se discute mesmo! Política se DIALOGA. O maior expoente da educação no nosso país, o mestre Paulo Freire, deixou um legado maravilhoso sobre a importância do diálogo. A própria palavra já diz tudo: “duas mentes”, “encontro de duas razões (pensamentos)”.

Meu pensamento entra em contato com o seu, não para brigar, não para tentar prevalecer ou se sobressair, mas para gerar pontes, para gerar união!

É isso que o nosso país mais precisa nesse momento, pontes inteligentes, para que juntos atuemos na construção desse novo tempo!

Tentaram silenciar todos os mestres citados por Frei Betto e muitos outros ao longo da história. Buda foi trancafiado em seu castelo de glórias terrenas até quase 30 anos. Jesus Cristo sofreu centenas de perseguições até que uma delas culminou na sua morte por crucificação. Gandhi foi assassinado por um radical hindu. Martin Luther King também foi assassinado porque muitos não suportavam o brilho imenso que ele emanava. O estupendo músico John Lennon, que só pregava o amor, a união, a paz, a justiça, também foi assassinado por um suposto fã seu. Nelson Mandela passou 27 anos preso, sendo que muitos desses anos foi numa minúscula solitária etc.

Os grandes revolucionários foram ou silenciados ou assassinados. Vendo todos esses exemplos incríveis eu me motivo mais do que nunca para dar o melhor de mim e melhorar mais e mais minha capacidade de transmitir as grandes questões humanas em palavras simples e acessíveis.

Como Frei Betto disse: “Passividade diante das injustiças é cumplicidade com quem as pratica”. Tenho consciência de que injustiças enormes vêm sendo feitas e pelo andar da carruagem muitas outras virão, principalmente no campo da Educação! Posso garantir que ficar passivo é a última coisa que farei. Serei esse soldado da paz a levar amor e consciência em cada um dos textos que escrever e cada ser humano que eu encontrar.

“Soldado da paz não pode ser derrotado

Ainda que a guerra pareça perdida

Pois quanto mais se sacrifica a vida

Mas a vida e o tempo são os seus aliados”

 

Recomendado para você