Artesanato da Mente

E se nós fabricássemos bombas de amor? Como o mundo seria?

Estava relendo um dos textos mais bonitos e profundos que já li na vida, de autoria do genial físico Albert Einstein. Se trata de uma pequena carta que ele escreveu para a sua filha lhe falando que o amor é o tecido do universo. Deixarei o link caso queira lê-la na íntegra. Farei uma breve reflexão a partir de um trecho que se encaixa perfeitamente no momento atual não só do Brasil, mas do mundo todo.

***********

Para dar visibilidade ao amor, eu fiz uma substituição simples na minha equação mais famosa. Se em vez de E = mc², aceitarmos que a energia para curar o mundo pode ser obtido através do amor multiplicado pela velocidade da luz ao quadrado (energia de cura = amor x velocidade da luz ²), chegaremos à conclusão de que o amor é a força mais poderosa que existe, porque não tem limites.

Após o fracasso da humanidade no uso e controle das outras forças do universo, que se voltaram contra nós, é urgente que nos alimentemos de outro tipo de energia. Se queremos que a nossa espécie sobreviva, se quisermos encontrar sentido na vida, se queremos salvar o mundo e todos os seres sensíveis que nele habitam, o amor é a única e a resposta última.

Talvez ainda não estejamos preparados para fabricar uma bomba de amor, uma criação suficientemente poderosa para destruir todo o ódio, egoísmo e ganância que assolam o planeta. No entanto, cada indivíduo carrega dentro de si um pequeno, mas poderoso gerador de amor, cuja energia aguarda para ser libertada.

Albert Einstein

Link da carta inteira: O amor é o tecido do universo

**********

O Einstein ganhou o prêmio Nobel de Física em 1921 por conta do seu primoroso trabalho sobre o efeito fotoelétrico no qual aparece essa famosa equação E = mc². Muito provavelmente essa é a equação mais famosa do mundo. Até tem gente pelo mundo todo que tatuou essa equação para você ter uma ideia.

Link da imagem: Tatto about Einstein

Se trocarmos o “m” por “amor”, é como se ele estivesse dizendo que a energia do amor é infinita, já que “c” é uma unidade estrondosamente alta (3 x 108).

O Einstein teve que conviver com uma depressão leve nos anos da sua velhice, pois ele soube que sua teoria revolucionária foi utilizada pelos gênios da engenharia nuclear para fabricar as bombas atômicas.

É por isso que ele fala sobre o fracasso da humanidade no controle das forças do universo e comenta que não estamos preparados para fabricar uma bomba de amor para destruir o ódio, o egoísmo e a ganância que assolam o planeta.

Estava a dias querendo escrever algo sobre isso e o Einstein me deu a inspiração. Estou publicando esse texto em 18/01/19. Já comentei que moro em Fortaleza e essa cidade tão bonita tem sido alvo de muitos ataques violentos de facções criminosas que atearam fogo em ônibus, transportes escolares, caminhões de lixo, agências bancárias, além de explodirem bombas em pontes e viadutos. Essas foram as principais notícias em duas semanas.

As pessoas têm acompanhado tudo isso horrorizadas e dizendo: “Onde vamos parar?”, “Quando isso vai acabar?”, “Como os bandidos serão detidos?” etc. etc. Não estou aqui para responder nenhuma dessas questões. Estou apenas fazendo um panorama geral.

Vejo com bastante clareza que se nosso país está do jeito que está é porque a falta de amor tem reinado. Esses verdadeiros venenos do ÓDIO, EGOÍSMO e GANÂNCIA é que tem sido o tecido da sociedade.

O amor é um alimento, você ainda duvida da perspicácia do Einstein? Quando ele escreveu esse texto associou “m” (massa) com “amor” propositalmente! Ele quis dizer a sua filha que o amor é algo que pode ser materializado na forma de gestos, na forma de consciência. E como se adquire essa consciência Isaias? Através da mudança dos nossos pensamentos!

E como mudamos nossos pensamentos? Mudando os padrões, os mecanismos de assimilação. Por exemplo! Se você perde um tempo precioso do seu dia assistindo aos programas que só mostram desgraças? Que explicitam as mortes e tudo que já foi citado antes nesse texto,você está alimentando sua mente com lixo, com algo que vai trazer desesperança, medo, raiva. É como um mecanismo de retroalimentação entende?

Já escrevi várias vezes, mas é sempre bom repetir. Estar em um contato maior com a natureza, silenciar, respirar com profundidade, meditar, fazer atividades físicas, ler bons livros e bons textos, ouvir boas músicas e podcasts, tudo isso e muito mais ajuda a alimentar os pensamentos com o bem, com o amor!

Tudo começa com o que nos alimenta. Eu procuro manter sempre minha esperança ativa, como diria o mestre Paulo Freire. Acredito que podemos melhorar como humanidade, e procuro contribuir com textos como esse, além das aulas que dou e das consultas psicanalíticas que realizo.

Um grande alerta que quero levantar é sobre o anestesiamento da consciência. Esses venenos que o Einstein cita tem nos deixando anestesiados para as questões humanas e isso pode ser muito perigoso. Vemos as estatísticas de mortes e isso não nos abala, vemos centenas de pedintes nas ruas e achamos que “é assim mesmo”, vemos líderes religiosos praticando inúmeros abusos sexuais, pessoas atirando a queima roupa até dentro de igrejas, vemos corrupções diversas acontecendo e pensamos que isso nunca vai mudar. E assim caminha a raça humana…

“A humanidade é desumana, mas ainda temos chance. O sol nasce pra todos, só não abe quem não quer” – Renato Russso

*****

Procure ser diferente. Faça tudo que estiver ao seu alcance para não se deixar anestesiar, porque sem alimentar esse amor que é a única e última resposta, será mais difícil fazer esse mundo de fato ser melhor para todos!

Há muito mais a aprofundar, mas deixarei as reflexões com você agora. Vamos juntos fabricar bombas de amor e espalhar por aí?…

Recomendado para você