Artesanato da Mente

A arte de relevar

83 1

“Com o passar dos anos aprendi que existem formas mais leves de seguir a vida. Não são todas as pessoas que convivo que gosto, não são todas as atitudes de pessoas que gosto que concordo, mas aprendi algo fundamental. Aprendi a respeitar a maneira de cada uma delas e ficou tão mais fácil. Porque conviver é uma arte que depende não só de respeito, mas de paciência também. Com esse aprendizado adotei um exercício valioso, o de relevar. E eu me convido diariamente a ser leve, a própria palavra faz o convite: re-le-ve. Volte a ser leve. Aposte suas fichas na paz. Respeite. E você vai perceber que o amor vai chegar facilmente.”

Ana Nunes

******

A maioria de nós não faz esse exercício de conhecer as raízes das palavras ou mesmo de separá-las em sílabas e perceber que isso por si só já diz muita coisa.

Relevar é a arte de voltar a ser leve. E leveza é uma característica de quem vive na essência. Viver na essência quer dizer estar em paz consigo mesmo e com o mundo, com as pessoas, com a natureza.

Relevar está diretamente relacionado com o autoconhecimento, com a evolução pessoal e o amadurecimento. É fácil notar que grande parte dos adolescentes ou mesmo adultos jovens têm uma tendência a serem mais reativos ou impulsivos. Muitos inclusive adoram aquele ditado que diz: “eu não levo desaforo pra casa”.

Esse é um ditado típico de pessoas que estão pesadas, estressadas, e por vezes fora de si. Seria bem mais interessante dizer “eu só levo paz pra casa”, “eu só levo alegria e amor pra casa”. Você percebe o poder que isso tem? Ao retirar esse “não” e no lugar dele inserir sentimentos nobres muda completamente a nossa energia.

Eu gosto de trocadilhos e a palavra relevar nos dá um que acho incrível. Quem releva é porque revela que possui um olhar mais maduro. Ou seja, prova através dos gestos e do próprio dia a dia que não se exalta com qualquer coisa, que valoriza as amizades muito mais do que as pequenas divergências, que respeita a individualidade dos outros, respeita suas escolhas, mesmo que não concorde com algumas delas etc.

Não apenas o Brasil, mas o mundo inteiro tem vivido tempos de muita intolerância e desrespeito. Por isso considero essa reflexão importante e atual. Um exercício simples que podemos fazer para olharmos para dentro de nós mesmos e você pode hoje ainda colocar na prática é se questionar o valor dos momentos, das pessoas, das crenças etc.

Por exemplo, você está com um grupo de amigos e todos começam a falar sobre a política. De repente, um deles começa a afirmar seus pontos de vista que destoam totalmente dos seus. Nessa hora você se faz a seguinte pergunta: “Vale a pena eu começar a discutir de forma enérgica, querendo provar que estou certo e ele errado?” ou “Vale a pena eu perder minha paz sabendo que por mais que tentemos nos entender, ele continuará pensando da mesma forma?”.

Com esse exercício mental você pode logo perceber que não! Que é um gasto não apenas de energia, mas um possível gasto no relacionamento que pode acontecer.

Eu amo o significado do verbo RESPEITAR, em sua raiz etimológica ele significa: “Olhar à distância” ou “Olhar uma segunda vez”. Ou seja, é não ser impulsivo, não querer a fina força que os outros vejam como você vê, pense como você pensa ou faça as coisas como você faz… Simples assim!

Vamos aprender a arte de relevar e assim termos muito mais paz de espírito e paz nos relacionamentos?

Recomendado para você