Asas e Flaps

Armas Secretas do 3º Reich 2ª parte

Essas armas extraordinárias ou “wunderwaffe” chegaram já tarde demais ao teatro de guerra mas, e se tivessem chegado mais cedo?

É durante os conflitos armados que podemos observar os maiores avanços na tecnologia. A motivação extra para ganhar e a investigação em algumas áreas, leva a progressos extraordinários que, não fossem o esforço de guerra, levariam décadas a serem alcançados. A Segunda grande guerra mundial não foi uma excepção. Alguns dos mais notórios avanços, tiveram a sua génese na investigação alemã durante este conflito, como por exemplo, o programa espacial Russo e Americano na década de 60.
A maior parte de nós já assistiu a programas sobre as armas secretas do regime nazi que, se tivessem entrado em cena noutro momento, poderiam ter invertido o rumo e o desfecho da segunda grande guerra mundial. A Alemanha desde muito cedo que se assumiu como uma nação cientificamente superior, o que lhe valeu um avanço significativo na tecnologia militar utilizada nas primeiras fases do conflito. Talvez por pensar que a guerra já estava ganha, Hitler colocou uma menor ênfase no desenvolvimento bélico ao longo do guerra, o que acabou por se verificar decisivo na fase final. Quando a maré se inverteu, a Alemanha voltou novamente a virar-se para a investigação de armas altamente sofisticadas, num acto desesperado de voltar a virar o rumo do conflito.

Fonte: CINEASTV Forum parceiro de ASAS & FLAPS

Ao contrário da “asa voadora”, Horten Ho IX, que só teve protótipos operacionais, o Arado Ar-234 Blitz foi operacionalizado em 7/1943 e teve produção em série. Foi o 1° Bombardeiro a jato, sendo ainda Multifunção e inaugurou várias inventivas, na aviação, que permanecem até aos dias de hoje. Versátil, teve muitas variantes: Reconhecimento, Reconhecimento Armado, Bombardeiro, Bombardeiro Noturno e Caça Noturno (equipados com o radar FuG 218 Neptun V). Houveram, ainda, outras versões em testes como a da exótica Plataforma Lançadora do mini caça Arado E-381, que foi abandonada…
Os primeiros protótipos, dado a urgência com que estavam sendo pressionados todos os fabricantes de artefatos bélicos alemães, naqueles últimos meses da IIGG, começaram a ser testadas soluções que economizassem materiais estratégicos já rarefeitos, devido aos constantes bombardeios dos principais depósitos, fábricas e cidades alemães.

fONTE: ConradZiegfried

http://www.youtube.com/watch?v=96mhxa5KuWI

Recomendado para você