Asas e Flaps

Airbus A330, o gigante que quebrou o monopólio da Boeing

1913 1

A Airbus pretendia colocar o A330 para competir diretamente no ETOPS, especificamente com o Boeing 767.

A fuselagem e as asas do A330 são idênticas às das versões menores do A340, embora tenham motores diferentes. A fuselagem do A330 é basicamente herdada do Airbus A300, como a seção do nariz/cockpit, o sistema fly-by-wire e o deck do A320. O A330 e o A340 são montados na mesma linha de montagem em Toulouse-Blagnac, França.

Ao fim de Janeiro de 2009, um total de 1012 A330 foram encomendados e 590 entregues.

Sua diferença ao Boeing 767 e ao Boeing 777 na capacidade de passageiros é que o Boeing 767 pode levar por fileira 7 passageiros em 2x3x2 e o 777 pode levar 10 em 3x4x3, já o A330 pode levar 8 em 2x4x2

ACIMA , COM AS CORES DA SELEÇÃO BRASILEIRA

Variantes

O A330 possui duas variantes, o A330-300, desenvolvido em 1987, e que entrou em serviço em 1993, e o A330-200, desenvolvido em 1995, e que entrou em serviço em 1998. A Versão Cargueira (A330-200F) entrou em serviço em 2008 e o Tanque (Airbus A330 MRTT) ainda se encontra em desenvolvimento.

O Airbus A330-200 nasceu como versão de longo alcance derivada do A330-300. Começou a ser desenvolvido a partir de novembro de 1995.

Com o baixo número de vendas do A340-200 (apenas 28 foram construídos), a Airbus decidiu usar a fuselagem do A340-200 com as asas e motores do A330-300. Isto criou um avião muito mais econômico do que o quadri-jato que serviu de base.

Em fevereiro de 1996 viria a primeira encomenda, de 13 unidades, feita pela empresa de leasing ILFC.

O primeiro vôo foi realizado em 13 de agosto de 1997 e as primeiras entregas em abril de 1998.

Praticamente idêntico ao A330-300, e da mesma forma oferecido às companhias com três opções de motores (Rolls Royce, Pratt & Whitney e General Electric), as diferenças mais marcantes são o menor comprimento da fuselagem e a maior capacidade de combustível, graças à adição de um tanque central.

O maior alcance fez da versão -200 um best seller, ultrapassando com folga o número de encomendas do seu irmão maior A330-300, e competindo diretamente com o Boeing 767-300ER na categoria de bimotores de longo alcance.

Rapidamente o modelo tornou-se o “avião do momento” entre vários operadores, tanto empresas regulares como charters.

Com o A330-200 a Airbus quebrou o monopólio da Boeing no segmento de longo alcance no mercado brasileiro: no final da década de 1990, a TAM anunciou a compra do A330-200 em favor do Boeing 767-300ER, abrindo caminho para a reentrada da Airbus nos céus brasileiros. O A330-200 serve, desde 2006, a TAP Portugal, sendo que hoje a empresa dispõe de 12 aviões deste modelo.

Fonte: Wikipedia

ABAIXO 2 VIDEOS QUE FIZEMOS A BORDO DE UM A-330 COM DESTINO A BUENOS AIRES