Assim Caminha a Humanidade

Ep. #14: “Interpretação de sonhos – Parte 1: Da Antiguidade a Freud”

“As coisas imaginadas por quem dorme são chamadas de sonhos”, diz uma enciclopédia de sonhos escrita no século 19. Para o escritor argentino Jorge Luís Borges, os sonhos constituem “o mais antigo e o não menos complexo dos gêneros literários”.

Os conteúdos oníricos têm fascinado os seres humanos através dos tempos, e tentar desvendar as suas mensagens constituiu um fascínio ainda maior. Mas quem estaria habilitado a interpretá-los? Na Antiguidade, sábios e profetas se dedicavam a isso, e reis contavam com assessores que possuíam o dom e o conhecimento para a tarefa. Naquela época, a interpretação dos sonhos, assim como os oráculos, tinham as funções que o pensamento científico tem no mundo de hoje: tornar o universo inteligível e, assim, permitir aos homens uma melhor ação sobre o mundo.

Mais tarde, a experiência onírica se tornaria objeto de ciências como a Psicologia e a Psicanálise, saltando do terreno místico para as considerações clínicas, da expressão cósmica para a interioridade individual, e do adivinho de sonhos para o analista.

Nessa Parte 1 do conteúdo sobre interpretação dos sonhos, vamos sair da Antiguidade com destino final às ideias de Sigmund Freud.

Vem com a gente!

Ouça em outras plataformas:

DEEZER

iTUNES

GOOGLE PODCASTS

***

Instagram: @assim_caminha

***

Apresentação: Pati Rabelo e Heráclito Pinheiro

Roteiro: Pati Rabelo

Consultoria: Heráclito Pinheiro

Edição: Bruno Melgácio

Áudio: André Silvestre

Coordenação de produção: Chico Marinho

Estratégia Digital: João Victor Dummar

Recomendado para você