Beleza e Saúde

Paulo Régis, ex-presidente da Sociedade de Brasileira de Cirurgia Plástica, dá dicas de como escolher um cirurgião plástico, o hospital e diz que falta cirurgiões plásticos no Interior do CE

"Cada pessoa tem características físicas individuais que podem ser realçadas e melhoradas". Cirurgião plástico Paulo Régis

“Cada pessoa tem características físicas individuais que podem ser realçadas e melhoradas”. Cirurgião plástico Paulo Régis

“Não existe um padrão fixo de beleza… É preciso evitar os modismos e a ditadura de um modelo único”, diz o cirurgião plástico Paulo Régis, ex-presidente da Sociedade de Brasileira de Cirurgia Plástica, Regional Ceará, que trouxe para Fortaleza um dos mais respeitados evento internacionais do segmento, o International Society of Aesthetic Plastic Surgery (ISAPS).  Em entrevista exclusiva, dá dicas de como escolher acertadamente um cirurgião plástico, selecionar o hospital adequado para a realização do procedimento e diz que está faltando cirurgião plásticos para atuar no Interior do Ceará.

ROBERTA FONTELLES PHILOMENO – O mercado da beleza está superaquecido, qual o padrão de beleza que predomina hoje, num universo das supermagras, que cultivam músculos e ossos?

PAULO RÉGIS – Antes de tudo, não existe um padrão fixo de beleza. Penso que a saúde deve preceder à beleza. É preciso evitar os modismos e a ditadura de um modelo único. Cada pessoa tem características físicas individuais que podem ser realçadas e melhoradas, inclusive com o auxílio da cirurgia plástica, mas sempre com o propósito de melhoria da sua autoimagem e, consequentemente, da sua autoestima.

RFP – Os pacientes estão em busca da perfeição do corpo? Os cirurgiões plásticos têm de impor limites a esse padrão idealizado?

PR – Não diria a perfeição do corpo, mas cada paciente deve ser avaliado como um todo. Na consulta, o cirurgião plástico deve ouvir atentamente as queixas do paciente, examiná-lo detalhadamente, investigar doenças pregressas e atuais e em especial auscultar seus anseios e expectativas. Sem dúvida, o combate aos exageros é um desafio e uma obrigação para os profissionais da cirurgia plástica que devem atuar com ética, respeitando sempre os limites do corpo e da própria especialidade.

RFP – Os cirurgiões plásticos estão cada vez mais valorizados. Alguns se sentem estrelas?

PR – A grande estrela da cirurgia plástica nacional se chama Dr. Ivo Pitanguy. Ocupamos hoje o 2º lugar no ranking mundial de cirurgias plásticas, não só pela qualidade de seus profissionais e técnicas, mas também pela seriedade que se exige dentro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e Conselhos Regionais de Medicina. Aqueles que não agem com ética e respeito pela profissão, buscando, muitas vezes, a autopromoção e banalização da especialidade, não são dignos de credibilidade, tanto no meio médico e, principalmente, no meio social em que vivemos.

RFP – A impressão que temos é de que existem muitos cirurgiões plásticos no Ceará, mas quando recorremos aos números, a realidade é outra. Não está faltando cirurgião plástico em nosso Estado?

PR – No Brasil, hoje somos mais de 5.400 cirurgiões plásticos. No nosso Estado, em torno de 130 cirurgiões plásticos, todos com boa formação técnico-científica. O que acontece é que ainda há uma grande centralização na capital (Fortaleza) e poucos profissionais no restante do Estado. Outra preocupação é a invasão da especialidade por profissionais não capacitados, lembrando que para se tornar cirurgião plástico temos 11 anos de formação (seis anos de faculdade, dois anos de residência em cirurgia geral e três anos de cirurgia plástica), além de avaliações rigorosas para obtenção do título de especialista e titular da Sociedade.

RFP – Como escolher acertadamente um profissional do bisturi e o hospital onde será realizada a cirurgia?

PR – Assegure que o profissional concluiu, no mínimo, cinco anos de treinamento em cirurgia, lembrando que três deles devem ser em cirurgia plástica. Verifique se o médico possui o treinamento adequado para realizar todo tipo de cirurgia plástica, não só alguns procedimentos. Confirme se ele está sob um código estrito de ética. Cheque o local da cirurgia. As operações só devem ser realizadas em instalações médicas fiscalizadas e credenciadas. Peça indicações de amigos e familiares e, se possível, veja o resultado das cirurgias.  Procure saber se os cirurgiões plásticos são associados à Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) ou Conselho Regional De Medicina. Essa informação pode ser checada no site www.cirurgiaplastica.org.br. Faça uma pesquisa de preços e desconfie daqueles cobrados muito abaixo do padrão do mercado.  Marque consulta com pelo menos dois especialistas. Aproveite o momento para esclarecer todas as dúvidas sobre o procedimento. Tome cuidado com anúncios que prometem resultados fantásticos, especialmente com fotos de pré e pós-operatórios e ofertas de parcelamentos de honorários.

RFP – Qual a importância de se realizar o curso da ISAPS em Fortaleza?

PR – ISAPS é a sigla em inglês para Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética, hoje presidida por um brasileiro Dr. Carlos Uebel. Este curso da ISAPS realizado, em agosto, deste ano, em Fortaleza, trouxe profissionais de vários países (Estado Unidos, Turquia, Romênia, Itália, França…) para discutir novas técnicas e a evolução da cirurgia plástica, promovendo um intercâmbio cultural e educacional. No ano passado, conseguimos também captar o Congresso Brasileiro de Cirurgia Plástica que acontecerá em Fortaleza em 2016.

Recomendado para você