Beleza e Saúde

CANDIDÍASE NO VERÃO: FIQUE LIVRE DESTA DOENÇA

 

1001CS2501

Fungo “Candida Albicans” causa incômodo íntimo às mulheres

1 – Pelo menos uma vez na vida 75% a 80% das mulheres sofrerá com candidíase, segundo pesquisa, neste Verão 2016. A infecção acomete a região genital e é provocada por uma série de fatores, como: as altas temperaturas, exposição ao sol, WE-A0aq9alta taxa de umidade, higiene genital inadequada, uso de antibióticos, anticoncepcionais, corticóides, estresse e até mesmo à alimentação. “O consumo de alimentos ricos em produtos fermentados, carboidratos e açúcares, com alto índice glicêmico, como: pão branco, biscoitos, arroz… pode contribuir para a multiplicação dos fungos e, portanto, para desequilíbrio da flora local, alterando o pH vaginal”, diz a   ginecologista e obstetra cearense Denise Vasconcelos (CRM: 9598 / RQE: 6270), da clínica Première Medicina e Saúde.

1001CS2502

Ginecologista e obstetra cearense Denise Vasconcelos, da clínica Première Medicina e Saúde

 

2 – CAUSA: Denise Vasconcelos, ginecologista da clínica Première Medicina e Saúde, diz que a candidíase vulvovaginal é uma das causas mais comuns de corrimento vaginal e o problema se caracteriza por um aumento do conteúdo vaginal de forma patológica. “Pode ser um sintoma referido pela paciente ou apenas evidenciado pelo médico durante o exame físico”. A candidíase é provocada por um fungo chamado “Candida Albicans”, sendo mais comum entre as mulheres, no entanto, os homens também podem apresentar a infecção.

3 – A ginecologista e obstetra paulista Érica Mantelli (CRM 124.315) conta que uma das formas de contágio é através do contato sexual. “Mas isso não significa que é uma doença sexualmente transmissível, pois pode ocorrer em pessoas que nunca tiveram relações sexuais’, esclarece. A ginecologista explica que mesmo que o homem ou a mulher tenha uma relação com a camisinha, o pênis faz um microtrauma na parede da vagina, assim a mulher fica mais predisposta à doença.

4 – A candidíase também está associada ao sistema imunológico, além de ser comum ocorrer em mulheres grávidas ou pacientes com doenças que comprometem a imunidade, como a Aids e o diabetes. “As gestantes também podem sofrer com o problema, já que a imunidade tende ficar mais baixa nesse período e o Ph da vagina fica mais ácido favorecendo a proliferação do fungo”, revela a ginecologista. O tratamento em gestantes deve ser feito apenas no local, evitando o uso de medicamentos via oral.

5 – TRATAMENTO: Candidíase tem cura? De acordo com a ginecologista, quando diagnosticada há dois tratamentos possíveis, que podem, inclusive, ser combinados. Creme vaginal, assim como medicamente antifúngico via oral. Para homens infectados, o tratamento recomendado é apenas via oral. “Nos casos em que o casal apresenta uma candidíase recorrente, que vai e volta, é preciso que o homem e a mulher façam o tratamento”, esclarece Mantelli.

1001CS2503

A higiene íntima previne contra a candidíase

6 – PREVENÇÃO: Algumas medidas também podem ser adotadas para amenizar o problema. “Manter a higiene íntima, não fazer o uso do protetor de calcinha diário (pois a região íntima fica abafada e há aumento da umidade local), optar por roupas frescas, principalmente na época mais quente do ano e cuidar da alimentação”, aconselha Érica.

PRINCIPAIS SINTOMAS DA CANDIDÍASE

1001CS2512

Ginecologista Érica Mantelli (FOTO), de São Paulo, elabora uma lista que pode indicar a presença da candidíase tanto nos homens quanto nas mulheres.

Nas mulheres:

-Coceira na vagina e no canal vaginal

– Corrimento branco grumoso

-Ardor local e para urinar

-Dor durante as relações sexuais

– Vermelhidão na vulva

Nos homens

-Pequenas manchas vermelhas no pênis

-Edema leve

-Lesões em forma de pontos

– Prurido(coceira). Em casos graves, distúrbios gastrointestinais e problemas dermatológicos