Beleza e Saúde

CONHEÇA O POLÊMICO JEJUM INTERMITENTE., SEGUIDO POR DEBORAH SECCO E JULIANA PAES

0710bu0207a

Deborah Secco cada vez mais em forma, através do jejum intermitente

0710bu0207

Juliana Paes é adepta do jejum

 

Coach nutricional Patrícia Barreto defensora do jejum intermitente

O ato de jejuar está rompendo as barreiras religiosas e chegando a um público cada vez mais diversificado. Isso porque os benefícios que a pratica oferece vão muito além das preconizadas pelos templos religiosos, tornando-se um tema popular no mundo do emagrecimento e da boa forma. É o jejum intermitente ou intermittent fasting visto como uma poderosa ferramenta terapêutica, capaz de eliminar do corpo substâncias e toxinas que ingerimos diariamente por meio dos alimentos, medicamentos, cosméticos e poluição.

“A princípio, o jejum pode parecer um desafio para a maioria das pessoas, pois a cultura ocidental recomenda a alimentação a cada 2h ou 3h, mas é possível sim de se realizar”, ressalta a coach nutricional Patrícia Barreto que, recentemente, passou pela experiência de jejuar por 21 dias seguidos, bebendo apenas água. A prática é polêmica, vai além da dieta, é um estilo de alimentação que causa estranheza.

BENEFÍCIOS

O fato é que muita gente vem adquirindo a forma em tempo recorde e esse é um dos pontos positivos e que popularizou o jejum, depois que celebs do quilate de Juliana Paes e Deborah Secco confessaram fazer jejum, não tão radical quanto o de Patrícia Barreto  “O jejum, já comprovado cientificamente, rejuvenesce, equilibra os níveis de triglicerídeos, melhora o sistema imunológico, reduz as inflamações e os danos causados pelos radicais livres, eliminação de toxinas e substâncias prejudiciais ao corpo e a normaliza os níveis de grelina (o hormônio da fome).

“Para se ter uma ideia, o HGH –Human Growt Human ou Hormônio do Crescimento – também conhecido como hormônio da juventude, tem sua produção diminuída com o passar dos anos. Em jejum, essa produção volta a crescer chegando a apresentar um aumento de 1300% nas mulheres e de 2000% nos homens, o que equivale a retroceder entre 10 e 15 anos na escala cronológica. O jejum também estimula o cérebro a liberar uma determinada proteína, conhecida como BDNF – Brain Derived Neurotrophic Factor – que ativam as células-troncos cerebrais na produção de novos neurônios. A cada dois dias de jejum, esta proteína aumenta entre 50 a 400%”, Patrícia Barreto.

É POLÊMICO

Para quem deseja iniciar a prática, pode optar por um jejum de 12 horas, deixando, por exemplo, de jantar. Há ainda a possibilidade, de acordo com Patrícia, de realizar o jejum de 24 horas, em que você escolhe um dia por semana em que não irá ingerir nada sólido. Ou ainda, optar pelo jejum de 36 horas, onde você para de comer às 22 horas de um dia e volta a se alimentar às 10 horas da manhã do terceiro dia. Por exemplo, você para de comer às 22 horas da sexta feira, permanece sem comer no sábado, e volta a se alimentar às 10 horas do domingo.

“É imprescindível que você ingira muita água nos dias em que estiver em jejum para auxiliar seu corpo no processo de eliminação das toxinas. Você pode ingerir também chás e sucos verdes (de verduras) não adoçados à vontade. Outro fator que não pode ser desconsiderado é a importância de uma alimentação nutritiva quando você sair do jejum. Seu corpo estará faminto de nutrientes, então você precisa fornecer uma alimentação adequada proveniente da mãe-terra, à base de frutas, legumes, verduras, nozes e sementes”, explica Patrícia.