Beleza e Saúde

REABILITAÇÃO CARDÍACA HOSPITALAR, NO SÃO CAMILO

Em um almoço animadíssimo das “Mulheres Pensantes”, encontro promovido pela colunista e jornalista Leda Maria, do O POVO, realizado tradicionalmente na última terça-feira de cada mês, no Ideal Clube, a cirurgiã plástica Yhelda Felício proferiu uma mini-palestra sobre libido feminina, na companhia da psicóloga Virgínia Damasceno e da professora de Yoga e instrutora de Eneagrama Yelw Felício. Após o almoço, Yhelda Felício. Uma das primeiras vozes no Brasil a falar sobre cirurgia íntima e que no ano passado foi convidada do Congresso de Cirurgia Plástica da Arábia Saudita, Yhelda Felício falou sobre o tema.

ROBERTA FONTELLES PHILOMENO – Dentre os livros que a sra já publicou, chamou-me atenção o “Cirurgia íntima masculina e feminina, 25 anos de evolução”, das Novas Edições acadêmicas, de 2015”…

 

 YHELDA FELÍCIO – … Busco reconstruir enfermidades tanto no homem, como na mulher, na tentativa de se ter um relacionamento saudável entre ambos e construir um mundo melhor. Algumas anomalias anatômicas acarretam dificuldades principalmente nas relações sexuais tanto para o homem como para a mulher.

 

RFP – Quais são essas anomalias, problemas mais comuns?

YF – No homem: Hipotrofia do pênis, hipertrofia do púbis, ausência de testículo e hipertrofia (ginecomastia) e hipotrofia do tórax. Na mulher: a hipertrofia dos pequenos lábios, hipertrofia do prepúcio clitoridiano, hipertrofia e hipotrofia do púbis, ptose de braços (o famoso tchausinho) e de coxas que causam muito constrangimento na mulher.

 

RFP – E as cirurgias íntimas são capazes de revolver tantos problemas?

YF – A cirurgia plástica é a especialidade que através de suas táticas poderá solucionar esses tipos de problemas. A idade dos pacientes varia de 12 à 70 anos. O índice de complicação é inferior a 2%, precisamente: 1,98%. E o índice de satisfação dos pacientes é bom.