Beleza e Saúde

direto de Juazeiro do Norte (CE), o médico radiologista Esaú Santana tirar nossas dúvidas sobre a Telemedicina que está causando a maior polêmica no segmento da saúde

“O papel da Telemedicina não é substituir o médico e sim levar cuidados especializados a lugares remotos por meio da tecnologia”. Médico radiologista Esaú Santana, de Juazeiro do Norte

 POLÊMICA TELEMEDICINA

Uma pesquisa, realizada pela Associação Paulista de Medicina (APM) e pelo Global Summit Telemedicine & Digital Health, constatou que cerca de 82,6% dos médicos utilizam mecanismos de comunicação eletrônicos na sua prática clínica, do dia a dia. Estamos abordando aqui a Telemedicina, um assunto polêmico que está causando muitas discussões e desconfiança, entre os profissionais de saúde e entre a comunidade em geral.

Em entrevista, direto de Juazeiro do Norte (CE), o médico radiologista Esaú Santana tirar nossas dúvidas sobre o assunto. Esaú Santana é administrador de PACS (Certificado PARCA- EUA), MBA em Gestão da Tecnologia da Informação (FIAP), mestrando em Clínica Médica e Telemedicina, pela USP, e CEO RadCloud.

 

ROBERTA FONTELLES PHILOMENO – De que se trata a Telemedicina ?

ESAÚ SANTANA – Quem nunca mandou um WhatsApp para tirar uma dúvida sobre a medicação, enviou algum resultado de exames por e-mail ou mesmo fez uma ligação telefônica para o seu médico? … Mas Telemedicina não quer dizer distância, mas sim a utilização de meios eletrônicos de comunicação.

RFP – Por que a Telemedicina causa tanta discussão?

ES – O que causa temor é a velocidade e abrangência com que as novas tecnologias estão revolucionando a área da saúde e que a Telemedicina venha a substituir o médico esvaziando os consultórios e com consequente perda financeira. Outra preocupação, seria a mercantilização exagerada na Medicina, perdendo qualidade na assistência o que geraria uma piora no atendimento ao paciente…

A Telemedicina proporciona agilidade nos resultados de exames e a disponibilidade 24h, online

RFP – A Telemedicina vai substituir o médico?

ES – Não, porém ela irá impactar em como o médico trabalha, essa revolução em curso exige esforço dos Profissionais de Saúde no sentido de adaptar-se às mudanças da medicina moderna.

 

RFP – Tem como confiar nos aplicativos que emitem laudos à distância em até 30 min?

ES – Confiança se constrói, com certeza no mercado já existem empresas sérias em Telemedicina. Eu mesmo trabalho em duas clínicas de radiologia e 2 hospitais aqui da região prestando serviço de Telerradiologia, tentando sempre manter a qualidade dos resultados não importando a distância física na qual eu esteja. Na área de Cardiologia, por exemplo, exames de holter, mapa e eletrocardiograma são comumente realizados por telediagnóstico.

 

RFP  – Quais as principais vantagens do uso da Telemedicina em clínicas e hospitais? 

ES – São inúmeras, algumas delas são a agilidade nos resultados de exames, a disponibilidade 24h, a possibilidade de dispor online de um especialista que não esteja disponível próximo ao serviço e acesso a uma segunda opinião.

RFP – No Cariri, já existem unidades de saúde que se utilizam da Telemedicina?

ES – Desenvolvemos uma plataforma de Telemedicina com foco em Telerradiologia. De maneira empreendedora e em conjunto com meus sócios Ramon Sousa e Júnior Siqueira, desenvolvemos a RadCloud. Com esse software qualquer médico radiologista cadastrado pode ter acesso aos seus exames de maneira automática e possui várias ferramentas que auxiliam o radiologista na confecção do laudo.