Beleza e Saúde

fisioterapeuta dermatofuncional Mirlene Borges apresenta o Ulthera contra o envelhecimento

A fisioterapeuta dermatofuncional Mirlene Borges apresenta o Ulthera, aparelho de última geração capaz de melhorar o aspecto, a aparência e devolver jovialidade à pele, dando mais firmeza.

 

ROBERTA FONTELLES PHILOMENO – O Ulthera é tudo isso que falam mesmo?

MIRLENE BORGES – É sim. O equipamento ainda dá viço à pele e, principalmente, trabalha os músculos da face e estimula a produção de colágeno. As sessões podem ser realizadas nas regiões da face, pescoço e colo, até então difíceis de ser tratadas.

 

RFP – A sessão de Ulthera dói?

MB – Não, por se tratar de um procedimento não invasivo e que estimula a formação de novas fibras de colágeno e é capaz também de formar uma espécie de reserva de colágeno, proteína responsável pela estrutura, firmeza e elasticidade da pele. Daí o poder do Ulthera de rejuvenescimento.

 

RFP – Como o aparelho age?

MB – Utilizamos três ponteiras: uma que atua na fáscia muscular, diretamente no músculo, até então só trabalhado pelo bisturi, em cirurgia plástica. A segunda ponteira atinge a derme e a terceira a camada mais superficial, eliminando as rugas finas. É a energia do ultrassom que cria o estímulo para que o organismo produza novas fibras de colágeno e fortaleça as já existentes. Apresentando, assim, resultados naturais e duradouros

 

RFP – O resultado é logo na primeira sessão?

MB – Sim. Os resultados podem ser percebidos em uma única sessão, mas cada caso deve ser avaliado por um profissional qualificado, para saber qual a real necessidade da pele, quantas sessões deverão ser feitas e se há alguma contraindicação, no caso a gravidez.