Blog do Leão

Futebol cruel e impiedoso, nós te amamos

1236 20

Vica, muito abatido, disse na coletiva que não fica no Pici

Caros tricolores, o mais natural neste momento seria uma caça às bruxas. Opções não faltariam para os engenheiros de obras acabadas: o esquema 3-5-2, os treinos secretos, a queda de produção nas últimas partidas, o exagerado clima de oba-oba, a pouca utilização de jogadores da base, a indisciplina de um atleta, a idade de outro, enfim, os noventa minutos de hoje colocou a perder a bela campanha da primeira fase.
O futebol é empolgante e fascinante por causa das surpresas que nos apresenta. A história deste esporte nos proporciona subir pra Série A com dois por cento de chances e dependendo de outros resultados, assim como perder a vaga na Série B dentro de um estádio lotado para um time teoricamente inferior.
Eu, particularmente, já sou calejado desde criança, quando aos 9 anos comecei minha vida de torcedor empolgado com a seleção de 1982, e ao final da partida contra a Itália, perguntava para os meus tios: – Vale o Brasil perder?
Não só vale perder, como vale mais ainda aprender com os erros. É isso, amigos. Vamos torcer para que o trabalho feito até agora permaneça no mesmo rumo, com os ajustes necessários, que são poucos.

2013 começa agora.

 

Saudações tricolores

 

 

Fortaleza 1×3 Oeste
Data: 11 de novembro de 2012
Local: estádio Presidente Vargas, em Fortaleza
Árbitro: Edivaldo Elias da Silva (CBF-PR)
Assistentes: Bruno Boschilia (PR) e Pedro Martinelli Christino (PR)
Público pagante: 20.062  (público total: 20.062 espectadores )
Renda: R$ 530.302
Cartões amarelos: Piauí, Dionísio, Fernando Leal, Serginho e Eduardo (O); Guto, Élton e Geraldo (F)
Gols: Waldison aos 42 do 1º T (F); Jheimy aos 12 minutos do 1º T e aos 28 minutos do 2º T e Serginho aos 49 minutos do 2º T (Oeste)
FORTALEZA: Lopes; Micão, Ciro Sena e Cléber Carioca (Jaílson); Rafinha, Élton, Esley (Jackson), Geraldo e Guto; Waldison e Assisinho (Cléo). Técnico: Vica
OESTE: Fernando Leal; Dedê, Eduardo, Dezinho e Piauí (Éverton); Dionísio, Hudson (Samuel), Lieger; Paulo Vítor, Jheimy e Serginho. Técnico: Luiz Carlos Martins