Blog do Maranhão

“Que a vida tá pouca e eu quero muito mais…”

2201asemana2017

Ruidosamente, um levante vem tomando as ruas de Fortaleza neste janeiro. O fato, de aparência banal, traz em si significância que lhe transcende definição e lhe amplia identidade, se observado com certo esmero. A cada fim de semana deste mês que inaugura 2017, multiplicaram-se relatos de blocos que antecipam o Carnaval pela cidade. Ou melhor, que adiantam o Pré-Carnaval, este já uma antecipação oficial da festa momina.

Não chega a ser novidade que os moram na Capital cearense são afeitos a apressar o relógio e gozar das delícias carnavalescas de modo prévio e prolongado. Não é à toa que já há quase dez anos Fortaleza tem um dos mais expressivos Pré-Carnavais do País, que se estende por quatro fins de semana e que se consolida e ganha novas dimensões a cada edição. Sem falar em experiências congêneres anteriores, como o Quem é de Benfica.

O que chama atenção nestes foliões extemporâneos de agora é a urgência de tomar as ruas com sua alegria. É o rebelar-se contra o calendário, que arrogantemente acredita ser capaz de determinar dia e hora para a felicidade geral. Estes subversivos, a quem a institucionalização da folia antecipada não basta, parecem desdenhar dos que se guardam para quando o Carnaval chegar. Em tempos de tanta dor que arrebenta, se apossam dos versos do cearense Fausto Nilo e saem em busca de libertar seus corações, porque a vida está pouca e eles querem muito mais.

por Émerson Maranhão
Editor de Conteúdo do Núcleo de Audiovisual

Recomendado para você