Blog do Maranhão

De Compadre Washington para Tom Jobim

1202asemana2017

“O Brasil não é para principiantes”. A frase se encaixa sob medida nos surreais tempos que vivemos neste pedaço debaixo do Equador. Como a debulhar um rosário de horrores, ao longo da semana assistimos a um encadeamento de absurdos como se normalidade fosse. Pacatos cidadãos saqueando lojas, tendo por motivação a ausência de policiamento na rua. PMs argumentarem que não podem cumprir suas funções porque suas mulheres obstruem as saídas dos quarteis, num modus operandi oposto ao quando manifestantes têm outros sobrenomes. Uma ação entre amigos sendo deflagrada sem disfarce para “estancar a sangria”que corrói certo grupo no poder (e que inclui de nomeações em troca de foro privilegiado a “simuladões” de sabatina para obtenção de vaga no STF). E a tudo isso presenciamos inertes, como que inebriados pelo mais potente dos ópios.

Até que fomos salvos da letargia por algo que de fato nos envergonha e indigna. Um programa na TV aberta teve a desfaçatez de exibir infindáveis 10 segundos de nudez masculina frontal! Aí sim, passou-se dos limites. Aí sim, as redes sociais conheceram a revolta. Houve até quem ameaçasse ressuscitar uma velha forma de protesto, o bater panelas! É isso. Um falo, um pênis, um pinto, enfim, abala-nos mais que os desmandos a granel que tomam o País. Fosse vivo, o maestro Tom Jobim, que há mais de 25 anos disse a frase que abre este texto, haveria de tomar por conselho o bordão imortalizado pelo cantor Compadre Washington: “Sabe de nada, inocente!”

por Émerson Maranhão
Editor de Conteúdo do Núcleo de Audiovisual

Recomendado para você