Blog do Maranhão

Prêmio Felix apresenta: Clássicos do Queer Britânico

Pelo quarto ano, o Prêmio Felix vai eleger o melhor filme de temática LGBTQ de uma seleção de 32 longas e 4 curtas, escolhido por um júri oficial composto pelo jornalista Eduardo Graça, pela diretora de teatro, cineasta e antropóloga Isabel Penoni e por João do Corujão, curador executivo do Corujão da Poesia-Universo da Leitura e do Programa Libertação dos Livros)

Em 2017 comemoram-se os 50 anos da descriminalização da homossexualidade no Reino Unido. Em um momento em que as questões LGBTQ estão cada vez mais urgentes no Brasil e no mundo, o Prêmio Felix do Festival do Rio conta com o programa especial, o Felix Apresenta: Clássicos do Queer Britânico – uma seleção de três clássicos britânicos produzidos nos anos 1980 e 1990 que personificam a atitude e a experiência queer no país: Os títulos, apresentados em cópias restauradas, são Orlando – A mulher imortal (dir. Sally Potter, 1992), Eduardo II (dir. Derek Jarman, 1991) e Minha adorável lavanderia (dir. Stephen Frears, 1985)

Juri Oficial Prêmio Felix

Eduardo Graça – Jornalista, vive em Nova York, de onde escreve para O Globo, UOL, Valor Econômico, Radio France Internationale, Monet, Omelete, Carta Capital e Florense, entre outras publicações.

Isabel Penoni – Diretora de teatro, cineasta e antropóloga. No cinema, dirigiu Porcos raivosos (2012) e Abigail(2016), ambos exibidos na Quinzena dos Realizadores do Festival de Cannes.

João do Corujão – João do Corujão Cineclubista desde 1978, é curador executivo do Corujão da Poesia-Universo da Leitura e do Programa Libertação dos Livros. Promove saraus de poesia no Cine Joia e no Reserva Cultural de Niterói.

 

Recomendado para você