Blog do Maranhão

Dois projetos cearenses vencem edital nacional “LGBT+ Orgulho”. Saiba quais

1864 2

Todos os vencedores do edital LGBT+Orgulho e a Comissão Julgadora

Iniciativa teve mais de 300 inscrições de projetos que promovem a valorização da diversidade e ganhou verba extra surpresa no valor R$ 160 mil, totalizando uma distribuição de R$ 360 mil para oito projetos

Dois projetos cearenses estão entre os quatro vencedores do do edital LGBT+ Orgulho,  iniciativa criada pelo Itaú Unibanco e a Mais Diversidade para incentivar ações que promovam e valorizem a causa LGBT+ no Brasil. O anúncio será feito nesta sexta-feira (29) durante o Fórum Out & Equal Brasil 2018, realizado em São Paulo (SP). Os ganhadores foram projetos selecionados a partir de uma lista de 10 finalistas, de diferentes regiões do País: Nordeste, Norte, Centro-Oeste e Sudeste.  Ao todo, o edital recebeu 310 inscrições.

Diante da alta qualidade dos projetos apresentados, o Itaú Unibanco destinou uma verba extra de R$ 160 mil, além dos R$ 200 mil previstos inicialmente no edital. Assim, além dos quatro projetos que receberão R$ 50 mil, outros quatro receberão R$ 40 mil. Todos os 10 finalistas contarão com mentoria da Mais Diversidade, assim como apoio de divulgação de suas ações.  Além disso, os projetos de pessoas físicas contarão com apoio do Itaú Unibanco na formalização de suas ideias.

“A qualidade dos mais de 300 projetos inscritos foi alta, o que tornou nossa decisão bastante difícil. Estamos muito felizes com o resultado e em poder colaborar com a promoção da diversidade”, comenta Claudia Politanski, Vice-Presidente Executiva do Jurídico, Pessoas, Marketing e Institucional do Itaú Unibanco. “Queremos contribuir para uma sociedade mais justa e inclusiva”, complementa a executiva.

Os dois projetos cearenses que foram contemplados, e receberão R$ 50 mil para serem desenvolvidos, são:

  • Casa das Negas, de Fortaleza. É um espaço de cultura e formação de mulheres negras LGBT+ na periferia da capital cearense.
  • Diversidade no Empreendedorismo de Jovens Rurais, no Ceará. O projeto estimula ações de empreendedorismo entre jovens LGBT+ de cinco municípios do sertão cearense

Os outros dois projetos que venceram o edital e receberão a mesma quantia são:

  • Biblioteca Comunitária Cassandra Rios: ateliê de leitura e escrita LGBT+, de Brasília. É um espaço de cultura com foco na literatura e trajetória de escritores LGBT.
  • Mulheres Negras LGBTs das Águas e das Florestas: Resistência, Empoderamento e Empreendedorismo Comunitário na Região da Transamazônica e Xingu. O projeto fomenta o empreendedorismo de mulheres negras LGBT+ que vivem nas regiões da Transamazônica e Xingu.

Já os os quatro selecionados para receber o apoio de R$ 40 mil foram:

  • Direitos e Saúde para a População LGBT de Roraima. Iniciativa que prevê o acolhimento da população venezuelana LGBT+ refugiada que chega a Boa Vista diariamente.
  • DIVERSILIBRAS – Comunidade Surda e Pessoas LGBTs com Deficiência. De Salvador, o projeto envolve a produção de conteúdo para a comunidade LGBT com deficiência.
  • Festival de Cultura, Cidadania e Direitos Humanos LGBT de Favelas. Localizado no Complexo da Maré, no Rio de Janeiro, é um festival de cultura de diversidade realizado em uma das maiores comunidades do País.
  • CAPACITRANS, da Zona Oeste carioca, trata-se de um projeto que estimula formação profissional para a população LGBT+ em situação de vulnerabilidade, com foco em pessoas trans.

Por fim, os outros dois finalistas que receberão a mentoria da Mais Diversidade e Itaú são:

  • MoocLGBTI+ – Pessoas Talentosas fazem a Diferença.
  • ROLEGBT na Quebrada

Os projetos selecionados foram avaliados por especialistas do Itaú, consultoria Mais Diversidade e representantes da comunidade LGBT+. Foram considerados aspectos como representatividade regional e atuação em conjunto com outros pilares da diversidade, como raça e etnia, gênero, pessoas com deficiência, idade, gerações e refugiados, assim como os de caráter cultural, educacional, esportivo ou social. “A quantidade imensa de inscrições demonstra o potencial de realização da comunidade LGBT+ no Brasil, comenta Ricardo Sales, fundador da consultoria Mais Diversidade e doutorando na USP.

 

 

 

 

 

 

Recomendado para você