Blog do Maranhão

Governo Bolsonaro recebe Movimento LGBTI+ pela primeira vez

Em uma reunião histórica, representantes de mais de 30 organizações LGBTI+ foram recebidos na manhã de hoje por Damares Alves, futura Ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, e pelo futuro secretário de Direitos Humanos do Ministério, Sérgio Augusto Queiroz. Este foi o primeiro encontro oficial entre o governo Bolsonaro e o movimento LGBTI organizado e ocorreu no Gabinete de Transição do Governo Federal, no Centro Cultural Banco do Brasil em Brasília.

A articulação para que o encontro acontecesse foi da Aliança Nacional LGBTI+, através do diretor presidente Toni Reis. “Foi uma reunião extremamente produtiva, com clima de respeito, solidariedade e empatia, na qual imperou o diálogo e os princípios de direito natural da preservação da vida; direito humano à dignidade e ao respeito; da administração pública como legalidade e impessoabilidade; não ao bullying; não à violência; não aos assassinatos das pessoas LGBTI+”, definiu Toni, ao fim do encontro.

Durante a reunião, a futura ministra recebeu o documento “O que queremos do Estado brasileiro”, que trata das prioridades consensuadas para as políticas públicas, especialmente nas áreas de direitos humanos, educação, saúde, emprego, previdência social, segurança pública e assistência social.

“A ministra garantiu manter as políticas para nossa população. Mantendo a diretoria LGBTT e as políticas interseccionalizadas com todas as pautas dos direitos humanos”, avaliou a professora cearense Luma Andrade, que estava na reunião. “A ministra ainda informou que as travestis e transexuais terão maior apoio (governamental) pela vulnerabilidade social destas”.

Para Tathiane Araújo, presidente da Rede Nacional de Pessoas Trans do Brasil, o encontro foi proveitoso. “Ainda é um caminho a ser traçado, mas existe boa vontade ao diálogo. E o papel dos movimentos sociais é repassar o real quadro e diagnósticos de suas populações“, afirmou.

Recomendado para você