Blog do Maranhão

Frente Parlamentar lança nota de repúdio à fala de Bolsonaro

1202 2

A Frente Parlamentar em Defesa da Cidadania LGBT, da Câmara Mu Municipal de Fortaleza, presidida pela Vereadora Larissa Gaspar, manifesta total repúdio à fala desastrosa e preconceituosa do Presidente Jair Bolsonaro. “Quem quiser vir aqui fazer sexo com uma mulher, fique à vontade. Agora, não pode ficar conheço do como paraíso do mundo gay”.

Para Larissa Gaspar esse discurso é desrespeitoso com mulheres e pessoas LGBT e reforça uma visão patriarcal colonialista que ignora as liberdades individuais. “O posicionamento do Sr Bolsonaro representa um retrocesso na defesa direitos ao insinuar que estrangeiros possam vir ao Brasil para violar a dignidade de mulheres e LGBTs. Jamais aceitaremos tal postura e não nos calaremos diante de absurdos como esse”, destacou a vereadora.

Confira a íntegra da nota de repúdio:

Fortaleza, 26 de abril de 2019

Eu, Larissa Gaspar, vereadora de Fortaleza, enquanto Presidenta da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos e da Frente Parlamentar em Defesa da Cidadania LGBT, venho manifestar meu total repúdio diante da fala inescrupulosa e desastrosa do Presidente Jair Bolsonaro, quando este afirma que “quem quiser vir aqui fazer sexo com uma mulher, fique à vontade. Agora, não pode ficar conhecido como paraíso do mundo gay aqui dentro”.

Nessa única frase, de graves consequências, está estampada a visão extremamente preconceituosa e desrespeitosa com as mulheres e pessoas LGBTS, carregando, assim, em seu discurso, toda nossa história de colonialidade patriarcal, uma marca que nos deixou uma cultura machista contra a qual o Estado Brasileiro e suas instituições, nos últimos anos, vinham tentando combater. No entanto, nos deparamos agora com a sua pior face, um patriarcado estatal, institucionalizado, que retorna inspirado na parte mais sombria da nossa história, que tem na figura máxima do Estado a expressão de todo o retrocesso possível, usando a sua voz para violentar a dignidade de nossas mulheres e LGTS.

É inadmissível que o Presidente da República faça apologia ao turismo sexual de mulheres, discursando como um irresponsável que não tem dimensão da realidade social e das vulnerabilidades dessa gente que está exposta à prostituição, à exploração sexual e ao tráfico internacional para fins sexuais. Foram feitos esforços desde os anos 90, por parte do Estado, para desassociar a imagem do Brasil como um país das mulheres sensuais e bonitas, combatendo o apelo sexual e os grandes esquemas com sites que vendiam a imagem das mulatas brasileiras como atração turística, com existência de toda uma rede de exploração sexual. A Região Nordeste do Brasil se destaca na rota do turismo sexual, e o Estado do Ceará, especialmente, a cidade de Fortaleza é um dos seus principais destinos, havendo aqui uma longa história de luta contra esse crime hediondo promovido pelo Sistema Capitalista, que transforma tudo em mercadoria, inclusive nossos corpos e nossa sexualidade.

Além do profundo desrespeito a nós mulheres, por nos vender ao estrangeiro, abrindo as portas do Brasil para o turismo sexual, que gera graves problemas sociais, também vimos aqui repudiar a homofobia presente nas palavras de Jair Bolsonaro e toda a concepção preconceituosa que manifestou em seu discurso sobre a “família brasileira”. Ainda que tal fala também venha do machismo cultural e estruturante em nossa sociedade, temos uma situação peculiar que precisa ser destacada, que é a violência direta contra a população LGBT, o crime de homofobia que está sendo incentivado desde a campanha eleitoral de Jair Bolsonaro. Desconsiderar a diversidade humana, as questões de gênero, as diferentes formas de constituir uma família são formas de negar a existência de muitas gentes, de pessoas que têm sua identidade, sua forma de amar, de se relacionar e que só reivindicam seu espaço, sua autonomia e possibilidade de ser livre. Não cabe ao Presidente ou ao Estado dizer o que as pessoas devem ou não sentir e como essas devem amar ou não, sendo incrível como algo de ordem tão particular afeta a sociedade patriarcal, representada na figura de Jair Bolsonaro, que não perde oportunidade de manifestar seu ódio à população LGBT.

É lamentável e entristecedor cada dia desse desgoverno, que com suas decisões e discursos irresponsáveis está promovendo crimes contra a dignidade humana e contra a Vida. Em tão pouco tempo estamos assistindo ao desmonte das políticas públicas, a entrega do nosso país ao mercado estrangeiro, mas hoje Jair Bolsonaro deixou ainda mais claro o que quer do nosso país, trabalhando para que este seja ainda mais excludente, assim, quer um país que venda todo o seu patrimônio, suas florestas, seus recursos, com uma visão mercadológica da Natureza e, mais ainda, superou toda e qualquer noção de bom senso, respeito e dignidade ao assumir que é conivente e incentivador da venda das mulheres como mercadorias de consumo sexual.

Estaremos unidas e unidos para reafirmar todos os dias que nossos corpos não são objetos, que sonhamos com um país de muitas famílias, de muitas cores, de muitos jeitos, um país que não deixará de sonhar, não perderá sua alegria de viver e que, sobretudo, lutará até que todos sejam livres!!!

Larissa Gaspar
Vereadora de Fortaleza
Presidenta da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos
Presidenta da Frente Parlamentar em Defesa da Cidadania LGBT

Recomendado para você