Blog do Vozão

Vem, não vem

241 29
Jorge Sotter acertou com o Vozão, depois deu pra trás (Foto: Christian Alekson/CearaSC.com)

Jorge Sotter acertou com o Vozão, depois deu pra trás (Foto: Christian Alekson/CearaSC.com)

Após tudo acertado e o Vozão anunciar oficialmente o retorno do preparador físico Jorge Sotter ao clube, uma semana depois, a diretoria foi pegue de surpresa com o pedido de demissão por parte do mesmo, que alegou preferir retornar ao Atlético-GO, de onde saiu no meio do ano para voltar a fazer parceria com PC Gusmão, no Marítimo, de Portugal.

Jorge Sotter é aquele mesmo que trabalhou com PC Gusmão no Vozão nas vezes em que o treinador esteve no comando do time, inclusive fazendo bons trabalhos e deixando saudades, tanto que o anuncio de seu retorno agradou a grande maioria dos alvinegros.

Segundo o presidente Robinson de Castro, o interesse no retorno partiu do próprio Jorge Sotter, que por varias vezes ligou para o presidente pedindo para voltar a trabalhar mais uma vez no Vozão.

Quanto à situação da diretoria diante do episodio, de minha parte, ela está totalmente isenta de qualquer tipo culpa, afinal, empresa nenhuma é obrigada a permanecer com um funcionário que de uma hora para outra demonstra total falta de interesse em trabalhar na empresa.

Em tempo, a novela Magno Alves segue de vento em popa. Em termos de proposta salarial, o clube chegou ao seu limite máximo, sendo esse máximo o mínimo que pede o empresário do jogador, segundo disse o presidente do clube em entrevista a imprensa.

Voltando a dar os meus pitacos, digo que o atacante Mota tem muito mais história no Vozão do que Magno Alves, e a paciência do Clube com ele foi bem menor. Acho que tudo tem limite, a diretoria deveria bater o martelo e encerrar o caso dizendo: Só tenho isso pra te oferecer, vai querer? Não. Então, tchau!

Vozão, campeão da popularidade!