C4 Notícias

DESERTIFICAÇÃO: CANINDÉ TEM PROJETO DE REFERÊNCIA NO NORDESTE.

Monitoramento de recursos naturais permite a adoção de medidas de proteção ao meio ambiente

 

LEILA LOPES AO VISITAR CANINDÉ EM 2012
No Ceará, um programa de combate à desertificação é desenvolvido nas micro bacias dos rios Cangati (Canindé), Batoque (Paramoti), Pesqueiro (Aratuba), e Salgado (Palmácia e Pacoti). O Projeto de Desenvolvimento das Reservas Hidro Ambientais (Prodham). De acordo com o presidente da Funceme, Eduardo Martins, o Prodham é um componente do Projeto de Gerenciamento e Integração dos Recursos Hídricos do Estado do Ceará (Progerirh), financiado pelo Banco Mundial e desenvolvido pela Secretaria de Recursos Hídricos em parceria com a Funceme. Tem como eixo principal conferir às comunidades locais condições técnicas e financeiras para melhor administrar seus recursos naturais, através de medidas simples, inovadoras e adequados à realidade do semiárido cearense.
“O objetivo geral é realizar o monitoramento biofísico de uma área piloto no Nordeste brasileiro na micro bacia do Rio Cangati, no Município de Canindé, através da implantação de uma infraestrutura de coleta de dados e aquisição de variáveis hidrológicas’’, explica Eduardo Martins. “Nosso objetivo específico é coletar e analisar dados que subsidiem o monitoramento biofísico na micro bacia do Rio Cangati, nas seguintes áreas de estudo: recursos hídricos, solo, vegetação e clima’’, frisa o presidente da Funceme.
A Angolana Leila Lopes, embaixadora da Convenção das Nações Unidas para Combate à Desertificação, visitou a comunidade de Iguaçu no dia 30 de junho de 2012, onde conheceu as novas experiências de participação popular em defesa ambiental.
A localização da micro bacia do rio Cangati, onde os estudos foram realizados, ocupando uma área de 75,65 km² em Canindé. Os projetos foram realizados com objetivo de promover a sustentabilidade dos recursos hídricos, por meio de ações de conservação de solo, água e vegetação em micro bacias hidrográficas, tendo o homem como ponto focal. “A micro bacia do rio Cangati foi à área piloto escolhida pela SRH, no âmbito do PRODHAM, para os estudos do monitoramento biofísico. A idéia é usar o conhecimento gerado através desse monitoramento em outras bacias semelhantes no Ceará, analisando as diferenças e adaptando as ações e intervenções relacionadas ao meio ambiente”,

Foram realizadas uma série de intervenções físicas, econômicas e sócio-ambientais e colhidas informações suficientes para dar dimensionamento e caracterização do comportamento hidroambiental da micro bacia, com dados importantes para o manejo racional, atendimento de demandas básicas e gestão de risco do semiárido.
Foram recuperadas matas ciliares; reduzido o processo de assoreamento em reservatórios; aumentadas a umidade do solo e a produtividade relacionada a agricultura de sequeiro; e incentivada a conscientização da população quanto ao uso sustentável e preservação dos recursos naturais. “Uma creche foi construída para atender 28 crianças filhas dos agricultores que, desde o maternal, já começam a trabalhar no currículo escolar as questões ambientais”.
O sucesso do PRODHAM fez com que a Miss Universo, Leila Lopes, e embaixadora da Convenção das Nações Unidas para Combate à Desertificação, fosse à comunidade de Iguaçu para conhecer de perto as ações. Leila Lopes participou de uma palestra com crianças que cursam na Escola Manoel Cordeiro da Cruz e estudam o meio ambiente na localidade, visitou áreas que, antes degradadas, foram recuperadas através do Programa de Desenvolvimento das Reservas Hidro Ambientais, conheceu um horto florestal e ainda teve tempo de comer tapioca e tomar suco de acerola e água de coco.
Na época ela disse, levava uma boa impressão do programa que está mudando a realidade do semiárido nordestino. “O lugar é bonito e tomem conta da vossa terra. O grande exemplo das crianças que já buscam na sala de aula uma convivência mais profunda na defesa do meio ambiente, isso me impressiona’’, disse no dia a Miss Universo.

 

LEILA LOPES

Leila Lopes disse ainda que agora terá subsídios para preparar seu relatório sobre a desertificação no sertão nordestino. “Tenho conhecimentos para falar para os outros embaixadores da experiência criada no sertão do Ceará, onde as famílias vivem em harmonia com a natureza’’, observou a Miss Universo. “É a primeira vez que tenho contato com a realidade do campo e, em meu País existe algo parecido mais nunca tive contato. Vejo, pela primeira vez, um terreno seco ser transformado em verde. O que me impressionou foi ver as pessoas unidas em busca de sua sobrevivência. É importante a participação do governo porque o povo sozinho não vai conseguir’’, salientou.

O presidente da Associação da Micro bacia do Rio Cangati, Antônio Napoleão de Sousa Furtado, disse que 209 famílias são beneficiadas com as ações do Programa de Preservação e Recuperação Hidro Ambiental. 60 mil mudas foram plantadas nas margens do rio. Hoje, o que se vê, são grandes plantações de aroeira, pau darco, frejó, angico, catingueira, sabiá, pereiro, pau branco, mororó, leucena, nim, marmeleiro, entre outras árvores nativas da região.
“Nosso trabalho também vai para São Luis, Cacimba de Baixo, Lages e Barra Nova. “São 11 quilômetros de rio que receberam o tratamento necessário para acabar de vez com a desertificação”, afirma o presidente da Funceme.
Mais informações:
Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos
Hídricos (Funceme)
Escritório em Fortaleza
Telefone: (85) 3101.1117
FOTOS E TEXTO: ANTONIO CARLOS ALVES