Cinema às 8

“Gênios do Crime”: comédia fora do tempo

Zach Galifianakis e Kristen Wiig

Zach Galifianakis e Kristen Wiig

Chamar “Gênios do Crime”, nova comédia de Jared Hess, de irregular seria dourar a pílula. Com poucos mais de 90 minutos, o filme flerta com a genialidade em uma ou outra sequência, e beira o constrangedor em todo o restantes. O elenco robusto, encabeçado por Zach Galifianakis e Kristen Wiig, transparece mais embaraço do que preparo, já que o longa recorre muito mais ao humor físico do que a uma trama que faça, de fato, muito sentido.

A ideia geral é de uma comédia “white trash” — focada naqueles tipos caipirões norte-americanos, que fazem pouco mais do que cuspir em pratos e polir seus rifles. Hess (diretor de “Napoleon Dynamite”/2004 e “Gentlemen Broncos”/2009) é mais do que acostumado a construir personagens afetuosos, ingênuos e estranhos. Só que a ambição de roubar milhões de dólares nunca parece encaixar na construção dessas personas. Difícil imaginar um Napoleon Dynamite tentando ficar rico — nem se fosse para conquistar algum amor na vida.

A falta de amor próprio, porém, segue intacta. A trama acompanha David Ghantt (Galifianakis), guarda exemplar de carros-forte. Após a demissão da sua amiga Kelly (Wigg), por quem nutria uma paixonite, o homem parece destinado a uma vida entediante ao lado de Jandace (Kate McKinnon). Até que a moça retoma o contato com Ghantt e, ao lado do inescrupuloso Steve (Owen Wilson), decidem roubar a empresa de carros-forte.

A dedicação da obra em criar uma comédia física genuína impressiona. As mudanças do visual sempre ridículo de Ghantt são hilárias e pegam o público sempre desprevenido. Madeixas longas loiras, uma permanente ou o tradicional franjão, Galifianakis parece sempre transpirar confiança em sua persona ridícula. Aliás, essa noção do patético transparece em praticamente todos os personagens. Por mais espertos que eles queiram parecer, todos são completos idiotas.

O problema de traçar arquétipos tão bobos é que a trama não é uma comédia pura. A semente do roteiro pede uma aventura, traços de romance, e, acima de tudo, um inteligente desenrolar de crime. Só que a história, de Emily Spivey, Chris Bowman e Hubbel Palmer é sempre simples demais. Por mais que seja baseada em fatos reais, simplesmente entrar em um prédio e encher um carro-forte com US$ 17 milhões não parece lá muito verossímil. E o mesmo vale com a fuga para o México, feita por avião.

Jason Sudeikis e Zach Galifianakis

Jason Sudeikis e Zach Galifianakis

É tudo meio surreal, quando a história pede um pouco de realismo. Existe ainda um par de personagens secundários interessantes. Em destaque, o assassino profissional Mike McKinney (Jason Sudeikis), contratado por Steve para se livrar de Ghantt. O ápice da perseguição, porém, parece emular o fim da rusga entre Superman e Batman em “Batman vs Superman: A Origem da Justiça”. É raso, simples, bobo. A camaradagem entre os personagens acaba ficando absolutamente superficial.

Em suma, “Gênios do Crime” é, de fato, um filme engraçado. E fica ainda mais surreal se analisado como obra baseada em fatos reais. Mas a fórmula de Jared Hess, com personagens burros, simpáticos e bondosos, em uma trama pouco real, pouco encaixa nessa proposta. Para além disso, o diretor e roteirista soa cada vez mais esgotados.

Cotação: nota 4/8

Em Fortaleza, o filme está em cartaz nos cinemas UCI Kinoplex Iguatemi, UCI Shopping Parangaba, Centerplex Grand Shopping Messejana, Centerplex Via Sul, Kinoplex North Shopping, Cinépolis RioMar e Cinépolis North Shopping Jóquei.

Ficha técnica:
Gênios do Crime (EUA, 2016). Comédia/Crime. De Jared Hess. 93 minutos. Com Zach Galifianakis, Kristen Wiig e Owen Wilson.

Recomendado para você