Cinema às 8

As hordas de “Invasão Zumbi”

Os zumbis já percorreram um longo caminho na sétima arte. Desde Béla Lugosi em “Zumbi Branco” (1932), passando pelos bem-vestidos e lentos mortos-vivos de George Romero em “Despertar dos Mortos” (1978), chegando até os velocistas infectados de “Extermínio” (2002), os zumbis continuam a protagonizar produções em todo o mundo. Presentes em jogos eletrônicos, de tabuleiro, nas telas de um dos seriados de TV mais populares da atualidade, os monstros se atualizaram e continuam a evoluir junto de seus fãs. Uma coisa permaneceu intacta, contudo: o amor deles pela carne humana.

Estreando no Brasil a poucos dias do fim de 2016, “Invasão Zumbi” leva o banquete de humanos para a Coréia do Sul. Como visto em “Guerra Mundial Z” (2013), a atual tendência dos mortos vivos é correr em bando. Grandes bandos. Enquanto no filme estrelado por Brad Pitt os espaços para fuga eram amplos, a trama dirigida por Sang-ho Yeon pelos corredores apertados de um trem em direção a cidade de Busan. Neste cenário claustrofóbico, Seok-Woo (Yoo Gong) deve proteger a vida de sua filha, enquanto se alia a outros sobreviventes para conseguir fugir do massacre.

 
Apesar de não trazer nenhuma grande novidade ao gênero, a trama de “Invasão Zumbi” mantém um ritmo de tensão constante para o espectador. Seja nos momentos que antecedem a chegada dos protagonistas ao trem, ou nos corredores abarrotados de criaturas infectadas, o filme preza pela construção de atmosfera intensa durante todo o tempo de projeção.

Um ponto positivo é o fato da história não tratar seus personagens apenas como vítimas à espera do abate. Os sobreviventes possuem personalidades fortes, que aliadas a momentos de cooperação resultam em situações emocionantes. Ainda que a frase soe piegas, não se engane: o filme não foge de espirrar litros de sangue na tela. Membros decepados percorrem a tela, enquanto as vítimas são reduzidas a humanos mastigados ambulantes. O nível de violência é grande, mas em momento algum ela soa gratuita.

 
Com “Invasão Zumbi” nas telas brasileiras, o Cinema sul coreano continua a se mostrar um dos mais relevantes em atuação. Resta aguardar para que mais produções com a mesma qualidade continuem a chegar no circuito comercial do País, para que o grande público não tenha que aguardar por sessões esporádicas em festivais.   

Cotação: 6/8.
Ficha técnica
Invasão Zumbi (COR, 2016). Terror. De Sang-Ho Yeon. Com Gong-Yoo e Yumi Jung. 14 anos.

Recomendado para você