Cinema às 8

8 franquias que morreram na praia

1434 1

Criar uma grande franquia é o objetivo de todo grande estúdio em Hollywood. Almejando sempre o bem sucedido Universo Cinematográfico da Marvel, os últimos anos foram povoados de filmes que, de alguma forma, tentaram dar início a um grande evento na sétima arte. Sejam sequências diretas ou spin-offs focados em personagens secundários, as tentativas de emular o sucesso de Homem de Ferro e seus amigos resultou em filmes que, bem, não obtiveram a qualidade esperada.

Pensando nisso, o Cinema às 8 reúne aqui oito filmes que tentaram construir uma grande franquia, mas tiveram suas tentativas destruídas pela crítica ou pela ausência do público nas salas de cinema.

1 – Drácula: A História Nunca Contada (2014)

Trazendo o rei dos vampiros como o herói da história, em meio a uma trama batida, o filme arrecadou pouco na bilheteria mundial. Antes do “A Múmia” deste ano, essa foi a primeira tentativa da Universal de criar seu próprio universo cinematográfico. Com atuações excessivamente canastronas, efeitos especiais fracos e cenas de batalha que não empolgavam, essa foi uma franquia que, felizmente, não levou a lugar algum.

2 – Warcraft (2016)

Baseado na grande franquia de games, o filme até consegue apresentar de forma competente o universo dos personagens. Escolhas ousadas do roteiro também serviram para diferenciar este de tantas outras obras semelhantes, como o integrante abaixo. Contudo, o filme falhou em cativar grandes audiências nos Estados Unidos, com quase toda sua renda sendo provinda da China. Existem boatos de que uma sequência voltada para o mercado chinês está sendo planejada, mas nada confirmado.

3 – Assassin’s Creed (2016)

Com nomes como Michael Fassbender e Marion Cotillard no elenco, essa adaptação tinha tudo para funcionar. A escolha por situar o filme mais no presente que no passado, aliada ao roteiro cheio de buracos, minou as chances do filme ser um sucesso e quebrar a maldição que assola os filmes baseados em jogos. Acabou que o gancho deixado para que vários outros assassinos aparecessem nas sequências jamais se concretizará.

4 – Lanterna Verde (2011)

Antes de Ryan Reynolds encarnar o Mercenário Tagarela e a Warner começar seu universo cinematográfico atual, o estúdio apostou que Hal Jordan seria o próximo grande herói dos cinemas. Com orçamento de UR$200 milhões e tendo arrecadado apenas UR$219 em todo o mundo, o projeto foi enterrado. Um novo filme do personagem já está nos planos da Warner, mas ainda não há protagonista nem ninguém ligado ao projeto.

5 – Franquias adolescentes genéricas que tentaram ser o novo Harry Potter

Cidade dos Ossos, Fallen, Divergente (que até conseguiu duas sequências, mas que não podem ser consideradas bem sucedidas), Eragon, Eu Sou o Número Quatro. A lista é longa e tenho certeza de que existem outros dos quais jamais ouvi falar, mas deu pra entender a ideia. Com exceção de Jogos Vorazes e Crepúsculo, foram poucas as adaptações literárias voltadas para o público que jovem que conseguiram se destacar dentre tantas.

6 – O Último Mestre do Ar (2010)

Rico em temas e personagens, o desenho Avatar fez grande sucesso em seu auge. Uma adaptação cinematográfica era certamente esperada, mas a escolha de M. Night Shyamalan para a direção foi inexplicável. Nada parece funcionar no filme, que nem mesmo consegue ter cenas de diálogo com o mínimo de coerência. Um fracasso tão grande que o protagonista mirim jamais foi visto novamente.

7 – O Espetacular Homem-Aranha 1 e 2 (2012 e 2014)

Tão preocupado em construir um universo compartilhado, com a introdução do Sexteto Sinistro e muitas ideias que não levam a lugar algum, que acabou sendo rechaçado pela crítica e descontinuado após o segundo filme. Mesmo contando com o carisma de Andrew Garfield e Emma Stone, a franquia acabou no segundo filme, deixando várias pontas soltas. Agora, o cabeça de teia voltou para a Marvel e este ano já tivemos um longa competente do Homem-Aranha.

8 – Quarteto Fantastico (2015)

Deixando para o final aquele que certamente é uma das maiores decepções dos fãs de quadrinhos. Com diversos problemas ocorrendo durante sua produção, o filme falhou em todos os aspectos possíveis. Brigas entre atores e o diretor, que por sua vez brigou com os executivos, acabaram destruindo todo o filme. O produto final mais parece uma colcha de retalhos, sem unidade alguma. Outrora tão promissor, o diretor Josh Trank também saiu dos holofotes com o fracasso do longa.

Recomendado para você