Clube da Luta

Fala, Mestre: Diego Sales comenta último Strikeforce

76 9

A luta do brasileiro Fabrício Werdum contra Alistair Overeem, pelo Strikeforce, na madrugada de domingo, foi aguardada com grande expectativa, mas, para muitos, deixou mesmo a desejar. O brasileiro perdeu o combate por decisão unânime dos juízes. Para comentar o confronto, o Blog Clube da Luta, convidou o mestre Diego Sales, grau preto de muay thai – graduado pelo mestre Evilázio Feitoza –  e professor de MMA. Ele inaugura hoje a seção “Fala, Mestre”.

Na opinião de Diego, definitivamente, Werdum não fez uma boa luta, pois, principalmente no primeiro round, sua postura foi evitar a luta e se jogar ao chão para tentar forçar que o combate fosse na área onde é especialista (jiu-jitsu). “Foi um fracasso. É inaceitável no MMA moderno que um lutador fique se jogando ao chão, tentando puxar para a guarda de forma atabalhoada, de qualquer jeito, principalmente este lutador sendo um dos melhores do mundo”, argumenta.

Para ele, a expectativa sobre o Werdum era grande, pois ele vinha de uma série de vitórias, sendo a última em cima de Fedor Emelianenko. “O Alistair Overeem é um adversário duríssimo, mas, pelo que vinha mostrando, acredito que todos esperavam uma apresentação melhor e mais corajosa do brasileiro”, defende. No segundo e terceiro rounds, Diego acredita que Werdum melhorou, começou a aceitar a trocação e em vários momentos acertou o holandês com socos duros, que chegaram a balançar Alistair, mas nada que podesse mudar o resultado da luta.

Por outro lado, Diego afirma que Overeem também não fez uma bela apresentação. “No primeiro round fez o esperado, não aceitando a luta de solo. No segundo e terceiro, evitou a luta de solo e conectou alguns socos e joelhadas no brasileiro, que, ao menor impacto sentido ou entrada de queda sem sucesso, se jogava ao solo, dificultando muito o desenrolar da luta”. Mesmo assim, ele avalia que Overeem não mostrou grade superioridade, sentiu um pouco de cansaço e fez o bastante pra vencer.

Diego lembra ainda que esta foi uma revanche. Werdum já venceu Overeem por finalização, no Pride, em 2006. “O Werdum treina na Kings MMA com o mestre Rafael Cordeiro já há alguns anos. O Werdum surpreendeu o Overeem sim, mas não vi evolução nenhuma no boxe dele, vejo mais demérito do Overeem do que mérito do Werdum”, opina o professor.

Com a compra do Strikeforce pelo UFC, as especulações sobre quem seria o melhor lutador do mundo nos pesos-pesados – assim como nas demais categorias – aumenta. No UFC, o dono do cinturão é Cain Velásquez, que terá como próximo adversário o brasileiro Júnior Cigano. Como a tendência é que o UFC promova lutas para unificar o cinturão, fica a expectativa sobre como seriam os combates. “O Overeem é duríssimo e perigo para qualquer lutador, seja ele de onde for, inclusive do UFC. O holandês tem o muay thai afiadíssimo, é muito forte e está no auge! O queixo e o gás sempre foram os problemas do Overeem, mas ele vem evoluindo. Ele faria uma grande luta com o Cigano e com o Cain”, comenta Diego.

O professor lembra ainda que já tem uma disputa agendada unificando cinturões do UFC e do Strikeforce, com Georges St. Pierre (GSP) contra Nick Diaz. “Previsão de grande luta”, anuncia.

SERVIÇO:

O mestre Diego Sales dá aula nas seguintes academias:

* 40 Graus: 3257-5453

* Fighter Sport: 3278-6226

* Espaço Korper: 3261-6141

* Moviment Academia: 3055-4100

Recomendado para você