Clube da Luta

Arrasador, Velasquez vence a revanche contra Cigano e recupera cinturão. Veja tudo que rolou no UFC 155

1607 21

Cigano deixou escapar o cinturão dos pesos pesados do UFC, que voltou para Velasquez

Num evento de 12 lutas não poderia se esperar outra coisa se não um repertório variado de lutas, com finalizações, nocautes, lutas burocráticas e outras emocionantes. E foi assim o UFC 155, disputado na noite deste sábado (29), em Las Vegas (Estados Unidos).

O mundo do MMA parou para ver a revanche entre Júnior dos Santos e Cain Velasquez. Ao contrário da 1ª luta, dessa vez o brasileiro se deu mal e perdeu o cinturão dos pesos-pesados do UFC para o americano. A vitória não veio por nocaute e nem por finalização, mas ocorreu de forma arrasadora, beirando o massacre. Como nunca antes em sua carreira, Cigano sofreu no óctógono e, não à toa, ficou com o rosto extremamente castigado pelas mãos pesadas do norte-americano, novamente campeão do peso-pesado do UFC.

O Blog Clube da Luta conta tudo o que rolou no evento. Confira!

1ª LUTA: John Moraga venceu Chris Cariaso por finalização (guilhotina) a 1m11s do 3° round
Os dois primeiros dois rounds foram marcados pelo equilíbrio. Muitas investidas na trocação em pé, mas pouca efetividade. O combate esquentou pra valer no 3° round. Mais inteiro na luta, Moraga conseguiu encaixar bons socos e não desperdiçou a chance que teve para finalizar o adversário com uma guilhotina fatal. Foi a 6ª vitória seguida de Moraga, que ganhou moral na categoria peso mosca.

2ª LUTA: Leonard Garcia venceu por decisão dividida Max Holloway
Max Holloway foi bem superior no combate e castigou bastante o adversário. Contudo, Leonard Garcia mostrou espírito guerreiro e ganhou a simpatia do público ao resistir bravamente os seguidos golpes que entravam com facilidade. No 3° round, mesmo aparentemente exausto,Garcia teve alguns bons momentos e não, à toa, fez com que um dos jurados desse vitória pra ele por 29×28. No anúncio do resultado, o público vaiou o vencedor. Detalhe: foi a 4ª derrota seguida de Garcia.

3ª LUTA: Vitória de Philip De Fries sobre Todd Duffee por nocaute com 2m04s do 1° round
Duffe começou melhor, com bons socos e joelhadas. Fries deu o troco e chegou a abrir um corte no adversário. Com a pontaria em dia, Todd Duffee voltou a dominar e usou toda a potência de suas mãos pesadas para vencer a luta com uma sequência de socos na parte lateral da cabeça de Philip De Fries. Incrivelmente, o lutador foi nocauteado em pé. Nocaute avassalador! Após a interrupção do árbitro central, Fries desabou.

4ª LUTA: Myles Jury venceu Michael Johnson por decisão unânime dos juízes

Jury passeou no 1° round. Conseguiu botar Johnson pra baixo e trabalhou bem o grand and pound com socos e marretadas no rosto do rival. Nos segundos finais, quase conseguiu a finalizar o combate, com um mata-leão, mas Johnson foi ‘salvo pelo gongo’. No 2° round Jury também foi melhor, mas não conseguiu golpear o adversário como no início da luta. No último round, Jury voltou a levar o adversário para o chão e foi castigando Johnson, que não mostrava reação. Vitória incontestável de ponta a ponta.

5ª LUTA: Jamie Varner venceu Melvin Guillard na decisão dividida dos juízes 

O 1° round foi de pura trocação em pé, com Varner um pouco mais contundente e com mais iniciativa. A 15 segundos do fim, Guillard foi derrubado e só não foi finalizado porque já era tarde. No 2° round Varner conectou bons golpes e conseguiu algumas quedas. O 3° round foi o mais intenso. Com bons momentos para os dois lados. Guillard sempre buscando a finalização e Varner o nocaute. Pela regularidade, Varner, ex-campeão do extinto WEC, fez por merecer o resultado.

6ª LUTA: Erik Perez nocateou Byron Bloodworth vs. a 3m50min do 1° round

Perez começou a luta com todo gás! Levou o adversário ao chão e apostou no grand and pound, com socos e cotoveladas. O festival de golpes de Perez abriu um grande corte na cabeça de Bloodworth. Com um soco atrás do outro, o nocaute veio por consequência. Vitória arrasadora do mexicano, que entrou no octógono com a bandeira de seu país e vestindo uma máscara típica dos lutadores de telecatch do México.

7ª LUTA: Eddie Wineland venceu Brad Pickett na decisão dividida dos juízes
A luta começou bem movimentada, com Wineland fazendo Pickett balançar duas vezes com jabs e cruzados precisos. O 2° round foi o contrário. Morno e sem grandes emoções. O round final também foi bem burocrático, com uma leve vantagem de Pickett, que reagiu tarde no combate. Ao fim da luta, vaias do público. Merecidas!

8ª LUTA: Derek Brunson venceu Chris Leben por decisão unânime dos juízes
Com menos de 30 segundos de luta, Brunson conseguiu ficar por cima do adversário. Com facilidade, passou a guarda e, na posição de montada, desferia socos e cotoveladas no rosto de Leben. No 2° round, Leben tentou segurar ao máximo a luta em pé para investir na trocação. No round decisivo os dois lutadores demonstravam estar claramente cansados, sobretudo Leben, que pouco arriscava. Brunson conseguiu uma boa queda, mas não passou disso.

9ª LUTA: Yushin Okami venceu Alan Belcher por decisão unânime dos juízes
O japonês Yushin Okami teve um amplo domínio nos dois primeiros rounds, ficando sempre por cima na luta de chão (sua especialidade), mas sem castigar o adversário com golpes. Belcher reagiu no 3° round e conseguiu uma queda já montando no adversário. Okami não passou sufoco por muito tempo e soube superar o momento adverso, ficando novamente por cima de Belcher e amarrando bem a luta, já que, por pontos, a vitória já estava assegurada.

10ª LUTA: Constantinos Philippou venceu Tim Boetsch por finalização no 3° round
Boetsch venceu com uma clara vantagem o 1° round. Chegou a levar um upper bem conectado, mas conseguiu um expressivo chute no queixo do rival, que perdeu o equilíbrio. Boetsch começou o 2° round em desvantagem, com um grande corte no rosto. Com a testa sagrando constantemente e prejudicado ainda por um dedada no olho, Boetsch se perdeu no combate e foi bastante castigado por Philippou, que golpeou até a paralisação da árbitra central.

 

11ª LUTA: Jim Miller venceu Joe Lauzon por decisão unânime dos juízes
Uma luta extremamente sangrento e disputado! Dois lutadores especialistas na luta de solo, Miller e Lauzon surpreenderam e fizeram um combate baseado na trocação. Mais incisivo, Miller conseguiu uma cotovelada que abriu um corte enorme na região acima do supercílio do adversário, que sangrou muito. No 1° round, Lauzon ficou com o corpo banhado de sangue. No 2° round, Miller botou pra baixo e continuou golpeando o rosto de Lauzon, que sangrava cada vez mais. Antes do término do round, Lauzon por pouco não encaixou uma chave de calcanhar. Miller seguiu como agressor no 3° round, mas Lauzou não deixou abalar pelo corte e por duas vezes esteve perto da finalização, no que seria uma vitória incrível. Os dois lutadores foram ovacionados.

12ª LUTA: Cain Velasquez venceu Júnior Cigano na decisão unânime dos juízes

Com um lutador faminto em busca de recuperar o cinturão, Velasquez partiu como um ‘louco’ pra cima de Cigano logo de cara. O americano tentava levar Cigano para o chão insistentemente. O brasileiro conseguiu escapar bem das investidas no início, mas Velasquez conseguiu um golpe certeiro que mexeu pra valer com Cigano. Daí em dia, um passeio. Outros golpes começavam a entrar, assim como as quedas. Velasquez massacrava e ficou muito perto do nocaute. O americano seguiu dominante no 2° round, embora sem a mesma intensidade. No início do 3° round, o placar de golpes apontava uma goleada imponente em prol do americano: 165 a 33. O castigo impiedoso seguiu e Cigano, debilitado, não conseguia acertar um único golpe certeiro. No penúltimo round os dois lutadores estavam exaustos. Sempre de guarda baixa, Cigano virava alvo fácil. No 5° round, Velasquez administrou a larga vitória, mas continuava golpeando. Vitória arrasadora de Velasquez, que levou a melhor da revanche e recuperou o cinturão tomado pelo brasileiro em novembro do ano passado.

COBERTURA ESPECIAL DO UFC 155

VÍDEO: clipe dos principais momentos do UFC 155: Cigano x Velasquez

VÍDEO: melhores momentos do ´passeio’ de Velasquez sobre Cigano

Velasquez foi superior em todos os rounds contra um Cigano irreconhecível no UFC 155

Júnior Cigano agradece apoio dos fãs e promete: “Vou recuperar meu cinturão no UFC”

Após ser avaliado no hospital, Cigano garante não ter sofrido fratura. “Estou só inchado”.