Clube da Luta

[ENTREVISTA EXCLUSIVA] Patrício Pitbull fala tudo sobre Pat Curran e o combate pelo cinturão do Bellator: “Quero que ele saia inconsciente do cage”

Patrício Pitbull | Foto: Divulgação

Patrício Pitbull | Foto: Divulgação

A fera braba de Natal está ansiosa para sair da coleira e partir com tudo para cima de Pat Curran. Patrício Pitbull aguarda há mais de um ano a revanche contra o campeão do peso-pena do Bellator. E, finalmente, seu desejo se tornará realidade. A organização vai promover o duelo para o final de julho, provavelmente para o dia 25 do próximo mês. Eu estive acompanhando o a final do TUF Brasil 3, no último dia 31, e conversei com o potiguar que estava no córner do cearense Rony Jason.

Patrício e Pat já criaram uma rivalidade dentro do Bellator. Na primeira luta, o combate acabou nas mãos dos juízes que deram a vitória para o americano. Até hoje, a derrota está engasgada em Pitbull. O potiguar acredita que venceu o combate e espera por essa revanche para atropelar o adversário dentro do cage circular da organização concorrente ao UFC.

– Em Janeiro de 2013, tive a chance pela primeira vez contra o Curran. Perdi para um americano, em solo americano, com juízes americanos e em uma organização americana por decisão dividida. Um árbitro deu a vitória para mim e, até hoje, eu acho que não perdi. Pedi revanche automática, o Bellator disse que não. Eu tive que voltar para o GP. Antes do GP, fiz uma luta. Então fiz quatro lutas e nocauteei três!

Depois da derrota, Patrício enfrentou Jared Downing (nocaute), Diego Nunes (nocaute), Fabricio Guerreiro (decisão unânime) e Justin Wilcox (nocaute). Após nocautear esse último nome, o potiguar se tornou campeão do GP, ganhando a chance de desafiar o campeão. Pitbull acredita que não pode cometer o mesmo “erro” da primeira luta de levar para a decisão dos juízes.

– Tenho certeza que para vencer o Pat Curran, não tenho que vencer só ele, mas todo esse sistema que existe de defesa em relação aos resultados tendenciosos. No meu caso, na primeira luta ocorreu isso. Vou lutar para nocautear. Não quero finalizar, quero que ele saia inconsciente do cage. Acho que ele falou muito, passou do limite. Me ofendeu pessoalmente. Ele saiu do aspecto esportivo e perdeu fair play.

O Bellator faz seus GPs para o vencedor do torneio enfrentar o campeão da categoria. Porém, isso não ocorreu de forma imediata com Pitbull. Situação que irritou bastante o brasileiro, a ponto de quase Patrício deixar a organização. Na época, Pat Curran e Daniel Straus lutaram pelo título – Straus venceu por decisão unânime. Na teoria, o Bellator deveria casar o combate entre o potiguar e Daniel, mas marcou uma revanche imediata entre Straus e Curran. Apesar do episódio ter sido negativo para o líder da Pitbull Brothers, ele garante que a mágoa ficou no passado.

– Enquanto venci o GP, Straus tinha tomado o cinturão do Pat Curran. No dia de anunciar a defesa pelo título, Straus anunciou que ia dar a chance para Curran, sendo que não entendi o motivo, porque o Curran foi totalmente dominado por Daniel. A chance de lutar pelo título era minha. Foi um problema e tive uma discursão muito séria com o Bellator. Mas hoje já é página virada, resolvemos esse problema.  Meu foco está voltado para trazer esse título para o Brasil.

Pat Curran e Patrício Pitbull durante a primeira luta deles no Bellator: Foto: Divulgação/Bellator

Pat Curran e Patrício Pitbull durante a primeira luta deles no Bellator: Foto: Divulgação/Bellator

Após perder o cinturão e ganhar revanche imediata, Curran finalizou Straus e voltou a ser o campeão da categoria. Patrício não aguenta mais esperar por essa luta. Depois de longa espera, o combate contra Pat foi marcado para o dia 6 de junho, mas uma nova lesão do americano adiou o duelo, que deve ocorrer no dia 25 de julho. Com tantos adiamentos, perguntei para o potiguar: Curran está fugindo de você?

– Eu não desconfio que a lesão dele seja séria. Mas é a terceira vez que ele adia uma luta contra mim. Em agosto de 2012 marcaram a primeira luta da gente, mas acabou não acontecendo. Demoraram para marcar. Quando marcaram, ele quebrou um osso da face, e depois adiaram de novo. Diante dessas situações, às vezes paro e me questiono. O cara está toda hora adiando. Isso me irrita e me deixa frustrado. Ele dá umas declarações sem sentindo e solta vídeos treinando com o cinturão. Ele não é má pessoa, mas está fazendo umas coisinhas que estão enchendo minha paciência.

A revanche entre Pitbull e Curran promete. Dessa vez, o desfecho pode ser diferente com o brasileiro saindo do combate com o cinturão. Esse duelo tem tudo para ser a luta do ano.

Recomendado para você