Clube da Luta

Entrevista: Charles Do Bronx aposta em preparo físico para superar japonês e alcançar sexta vitória no UFC

Charles enfrenta  | Alexandre Loureira/Inovafoto

Charles enfrenta Hatsu Hioki no UFC na Nova Zelândia | Alexandre Loureira/Inovafoto

O paulista de 24 anos, Charles do Bronx, vai protagonizar mais uma luta co-principal do UFC. O brasileiro tem um novo desafio pela frente: o japonês Hatsu Hioki, no dia 28 de junho, na primeira edição realizada pelo Ultimate em Auckland, na Nova Zelândia. O peso-pena do Brasil aposta no gás para fazer a diferença contra o adversário que nunca foi finalizado, nem nocauteado.

“Treinei de tudo um pouco, fiz um camp muito bom. Vou imprimir meu ritmo como em todas minhas lutas, tanto em pé, quanto no chão, tentando trabalhar. As últimas lutas dele, ele perdeu para wrestlings que colaram nele. Vou usar e abusar do meu gás, porque sei que ele é um cara que não desiste, assim como eu. Vou andar o tempo todo para frente. Vai ser uma luta boa”, disse Charles ao Blog Clube da Luta.

O atleta patrocinado pela Integral Médica treinou de tudo um pouco para superar o japonês dentro do cage. Faixa-preta de jiu-jitsu, Do Bronx aprimorou o boxe e o muay thai para surpreender Hioki, adversário que anda na corda bamba do Ultimate. Antes de enfrentar o brasileiro, Hatsu fez quatro lutas, perdeu três seguidas e venceu a última contra Ivan Menjivar por decisão unânime.

“Eu sou oriundo do jiu-jitsu, qualquer um deles que me colocar no chão, vou trabalhar a arte suave. Ele é uma experiente, já fez lutas no Pride, contra grandes nomes. Com certeza, vai ser uma luta dura. A gente luta MMA, vou trabalhar tanto em cima, quanto no chão. Se ele errar pode ser que eu finalize ele ou nocautei. Não importa como, para mim, o importante é vencer. Treinei focado e vou tentar seguir a estratégia montada. Ele é um cara que não é bobo. Vou jogar para ele errar”, conta o paulista.

Do Bronx em ação contra Andy Ogle |  Alexandre Loureira/Inovafoto

Do Bronx em ação contra Andy Ogle | Alexandre Loureira/Inovafoto

Charles vai em busca da sexta vitória no dia 28 de junho. Mas, poderia ser a sétima, caso os juízes não tivessem dado “no contest” no duelo do brasileiro contra Nik Lentz, em junho de 2011. Já se passaram quase três anos, mas o paulista ainda não esqueceu esse resultado e quer encontrar o americano em breve para mais uma batalha.

“Luto contra qualquer um, quem decide é o UFC. Mas, se fosse para escolher alguém, escolheria ele. Essa luta está engasgada e fizemos um combate duro. Foi o único “no contest” da minha carreira. Vencendo Hioki, se o UFC me permitir, vou escolher ele”, afirma Do Bronx.

Na época da luta contra Lentz, Charles acertou uma joelhada ilegal, mas o americano continuou a lutar. Em seguida, o brasileiro aplicou outra joelhada, que estourou o globo ocular de Nik. Com o segundo golpe, Lentz sentiu e Do Bronx o finalizou com um mata-leão.

Do Bronx tem apenas quatro derrotas no cartel. Os reveses ocorreram contra atletas do top 10, como Frankie Edgar (ex-campeão do Ultimate) e Cub Swanson, ambos na categoria peso-pena, além de Donald Cerrone e Jim Miller, quando Charles lutava como peso-leve. Contra o japonês, o brasileiro espera vencer para entrar de vez no ranking dos 15 melhores lutadores da divisão até 66 kg.

“Quero vencer todas as lutas que colocarem para mim. Claro que quero estar entre os melhores do mundo, só que não dou tanta importância ao ranking. Espero vencer as batalhas no UFC. Depende do UFC, se vou entrar do top 10. Querer, eu quero muito, mas não sou eu que decido, eles que decidem. Tenho que fazer um bom trabalho para eles reconhecerem”.

Recomendado para você